Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARACTERÍSTICAS DAS ESCOLAS OU ESTILOS LITERÁRIOS-FINAL



SIMBOLISMO - Na segunda metade do século XIX, realidade dando lugar à fantasia e ao mistério, reação ao excesso de objetivismo, ressurgimento da metafísica - visão interior do artista em aprofundamentos transcendentais, criando símbolos localizados fora da matéria, manifestações subconscientes de um EU metafísico;  ponte com a pintura (artes plásticas) e a música.  Religiosidade e espiritualismo (BERGSON), mundo espiritual e místico, poesia complexa e de difícil interpretação, vocabulário em atmosfera religiosa ou mágica, culto de brancura-transparência-pureza, linguagem alusiva e indireta da poesia em mistério e indefinição, inconsciente + subconsciente, lastro de cientificismo, estados oníricos, sonho-fantasia-imaginação da verdade desconhecida da alma humana e da origem dos seres, desprezo à natureza, musicalidade, música vaga-crepuscular, atmosfera e expressões vagas, imprecisão e entretons, uso irrestrito de símbolos, maiúsculas alegorizantes representando entidades superiores e idéias abstratas, hermetismo, ânsia de eternidade.

MODERNISMO - Fundamentalmente, nasceu na pintura que desde o final do século XIX mostrou o homem moderno perdido e surgiram tendências, que deixaram marcas:  1-EXPRESSIONISMO - Realidade deformada pela simplificação de formas, intensa percepção subjetiva e forte conteúdo emocional caracterizados no “fluxo de consciência”, influência de VAN GOGH.  2-FUTURISMO - Itália , MARINETTI, 1909 - “Temática da velocidade e do perigo, dinamismo, desprezo à sintaxe, à pontuação e aos conectivos, substituídos por sinais matemáticos;  aversão ao passado, projeção do futuro, nacionalismo, exaltação da guerra e do militarismo” --- no Brasil, MÁRIO DE ANDRADE.  3-CUBISMO - Escola de pintura surgida em 1907, mais importantes as obras de PICASSO, redução dos objetos a formas geométricas, sem importância à lógicas das idéias - em literatura, humor e ilogicidade, fusão de presente-futuro.  4-DADAÍSMO - Exploração do subconsciente, TRISTAN TZARA, 1916, movimento precursor do Surrealismo, revolta contra o passado, antigramatização, falta de sentido em todo.  5-SURREALISMO - ANDRÉ BRETON, 1924, repulsa ao encadeamento lógico do pensamento, influência de FREUD, intensificação do inconsciente, valorização do sonho e dos estados mórbidos.  //  No final do século XIX, Brasil passou de uma estrutura rural para civilização burguesa e  industrialização. O movimento  literário, neste novo quadro social, evoluiu em duas direções:  linha social - abordagem de causas sociais e urbanos;  linha regionalista - cor local das regiões e dos padrões brasileiros, o homem plasmado pelo meio ambiente, determinismo terra-homem, adaptação a novas tecnologias e outros sistemas de organização social.  //  Modernismo instaurado oficialmente com a Semana de Arte Moderna - São Paulo, Teatro municipal, dias 13-15-17 de fevereiro de 1922:   exposições de artes plásticas, declamações de poemas, conferências e concertos - MÁRIO DE ANDRADE, OSWALD DE ANDRADE, ANITA MALFATTI, BRECHERET e VILLA-LOBOS.  Neste período, mescla ainda sobre influência européia, elementos parnasianos e simbolistas refundidos, muitos foram os antecedentes da “Semana”, como as exposições de ANITA MALFATTI e DI CAVALCANYI, a revista “Orfeu” (1915) e o artigo de MONTEIRO LOBATO:  “Paranoia ou mistificação?”  - o papel da Semana foi condenar o passadismo, embora sem definição.  “Não sabemos definir o que queremos, mas sabemos definir o que não queremos” - ANÍBAL MACHADO.  No Rio, janeiro/1942, numa publicação, perfil dos rumos iniciais:  “ruptura das subordinações acadêmicas, destruição do conservadorismo, demolição de tabus-preconceitos, direito de pesquisa estética, atualização da inteligência artística brasileira, estabilização de uma consciência criadora nacional” - MÁRIO DE ANDRADE.  //  A partir da Semana, divergências entre os participantes e modificações ou correntes:  São Paulo - 1-Primitivismo, isto é, motivos primitivos da terra e do povo brasileiro, “culto à estética instintiva da terra nova” - OSWALD DE ANDRADE - Manifesto Pau-Brasil e Antropofagia - OSWAL DE ANDRADE, RAUL BOPP, ALCÂNTARA MACHADO e OSWALDO COSTA.  2-Nacionalismo, nacionalização da literatura, inspiração em motivos nacionais (indígenas, folclóricos, nativos) contra a influência européia - CASSIANO RICARDO, MENOTTI DEL PICCHIA, PLÍNIO SALGADO E CÂNDIDO MOTA FILHO.  3-Não movimentos nacionalistas - Verde-amarelo (1926), da Anta (1927) e da Bandeira (1936).  4-Desvairismo, liberdade de pesquisa estética, renovação poética, valorização da língua nacional através da colocação de regionalismos-coloquialismo-gírias - MÁRIO DE ANDRADE.  // Rio de Janeiro - Dinamismo, culto do movimento e da velocidade, valor de progresso material - GRAÇA ARANHA, RONALD DE CARVALHO, GUILHERME DE ALMEIDA, ÁLVARO MOREIRA e AGRIPINO GRIECO.  2-ESPIRITUALISMO - Neossimbolismo que defendia a tradição e o mistério, revista “Festa”, conciliação de passado-futuro, reagindo e renovando sem revolucionar - TASSO DA SILVEIRA, ANDRADE MURICY, ADELINO MAGALHÃES, MURILO ARAÚJO, CECÍLIA MEIRELES e MURILO MENDES.  //  Fases do Modernismo:  1-Modernista - 1922/1930 - instauração, ruptura com o passado, entusiasmo dos ideais da Semana, predomínio das polêmicas, ênfase ao nacionalismo, liberdade de criação, pesquisa estética, busca de originalidade, culto da blague, poema-piada - poesia:  OSWALD DE ANDRADE, MÁRIO DE ANDRADE, MANUEL BANDEIRA, CASSIANO RICARDO, MENOTTI DEL PICCHIA, RAUL BOPP e GUILHERME DE ALMEIDA; prosa:  OSWALD, MÁRIO e ALCÂNTARA MACHADO.  2-Contemporânea - a partir de 1930 - construção, predominância da linguagem coloquial, lirismo sentimental,  novas técnicas de romance.  //  Na poesia:  1-Geração de 30 - poesia participante, alguma preocupação formal, origem filosófica, político-social e religiosa - VINÍCIUS DE MORAES, JORGE DE LIMA, AUGUSTO FREDERICO SMITH, MURILO MENDES e CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE.  2-Geração de 45 - poesia tecnicista, transformação da forma, realização técnico-formal, hermetismo, fuga a temas e palavras banais, traços parnasiano-simbolistas - GEIR CAMPOS, LEDO IVO e MAURO MOTTA - JOÃO CABRAL DE MELO NETO, caso à parte:  adoção também de poesia de caráter participante - ainda nesta geração, anti lirismo, prosaico, poesia-prosa, ênfase à denotação.  3-Poesia concreta - movimento lançado nos anos 50, revista “Noigrandes” (DÉCIO PIGNATARI, HAROLDO DE CAMPOS, AUGUSTO DE CAMPOS e outros) - fundada na palavra e no aproveitamento do espaço gráfico, influências de MALLARMÉ, APOLLINAIRE e POUND - disposição espacial dos vocábulos na página, tentativa de interligar poesia-música-pintura e artes gráficas; uso de aliterações, rimas internas, assonância, segmentação de sintagmas e radicais, emprego de ideogramas,  justaposição de conceitos - precursores SOUSÂNDRADE, OSWALD ANDRADE e JOÃO CABRAL DE MELO NETO.  4-Poesia práxis - grupo dissidente do concretismo, movimento de 1961, jogo formal e técnico, poema como produto da interferência do leitor, oposição da “palavra-energia” à “palavra-coisa” da poesia concreta, abandono da estrutura matemática da poesia concreta, vitalização da palavra, recursos da poesia tradicional, aliterações, repetição de palavras - MÁRIO CHAMIE e CASSIANO RICARDO.  5-Poema-processo - movimento de 1967, nova linguagem, nova grafia, nova codificação, atuação no campo visual, rejeição em parte à palavra, montagem fotográfica, figuras-desenhos, conteúdos pictóricos, objetivo de arte consumida pelo povo - WLADEMIR DIAS PINO, ÁLVARO DE SÁ e MOACY CIRNE.  6-Neoconcretismo - cisão carioca do concretismo, 1959, rebelião contra o exagero racionalista, exteriorização da realidade do homem moderno emocionalmente, economia de palavras + combinação dos elementos sensoriais (som, grafia etc.), conteúdo subjetivo e hermético - FERREIRA GULLAR, REYNALDO JARDIM e OLIVEIRA BASTOS.  7-Tradicionalistas - tradição universal da imagem poética (lado poético do ser humano), sentimento da natureza, temas simples, incursões em conquistas mais modernas - MÁRIO FAUSTINO, MARLI DE OLIVEIRA, WALMIR AYALA e CARLOS NEJAR.  //  Na prosa:  1-Neorrealismo - cotidianismo, problemas sociais, políticos e econômicos - a-urbanismo, classe média urbana, humorismo, sátira à decadência moral burguesa, crônica de costumes - OSWALD DE ANDRADE ÉRICO VERÍSSIMO, DINÁ SILVEIRA DE QUEIRÓS e MARQUES REBELO;  b-regionalismo - ambiência e expressão, luta pela ascensão sócio-econômica, libertação do determinismo geo-social, classes sociais às margens da civilização, dimensão ecológica do homem, decadência do Nordeste, início da urbanização - JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA, JOSÉ LINS DO REGO, JORGE AMADO, GRACILIANO RAMOS e RAQUEL DE QUEIRÓS; c-neorregionalismo - falares regionais anti-heróis, neologismos - JOSÉ CÂNDIDO DE CARVALHO, HERBERTO SALES, MÁRIO PALMÉRIO e BERNARDO ÉLIS.  2-Neonaturalismo - ideologia social, pregação partidária - JORGE AMADO (primeira fase).  3-Psicologismo - ritmo e investigação psicológicos, essência do homem, análise psicológica e de costumes, depoimento psicológico de base psicanalítica - LÚCIO CARDOSO, CYRO DOS ANJOS, LÍGIA FAGUNDES TELLES, AUTRAN DOURADO, ANTÔNIO CALADO e JOSUÉ MONTELLO.  4-Intimismo - fluxo psíquico, procura do ser, construção de uma supra-realidade mítica ou metafísica, despojamento da linguagem, desestruturação do tempo - CLARICE LISPECTOR, OSMAN LINS, ADONIAS FILHO e JOSÉ CONDÉ.  5-Experimentalismo - criação verbal, invenções semânticas e estlísticas, aproximação da língua falada com a escrita, reestruturação do sistema linguístico, sintetismo verbal, preocupação metafísica e religiosa - GUIMARÃES ROSA e GERALDO FERRAZ.  6-Realismo mágico - fruto do romance psicológico, transformação da realidade, objetivo  de conhecer a essência das coisas, lirismo no mais alto grau de intensidade, limites do irreal-fantástico-absurdo (=KAFKA), mundo em realidade tão estranho quanto o nosso, hesitação entre o real (coisa lógico-racional) e o maravilhoso (sonho, coisa ilógica-irracional) - J. J. VEIGA, VICTOR GIUDICE e  MURILO RUBIÃO.  //  POESIA MODERNISTA - Principais características resumidas - liberdade de expressão e concepção artísticas - sequência de imagens, associações de ideias, aparente ilógica na enumeração caótica - interesse pela ordem social - ausência de preconceitos de puristas e aproveitamento do elemento antes considerado apoético - ritmo individual, liberdades sintáticas e vocabulares - interesse pelo inconsciente e inclusão do subconsciente - incorporação de regionalismos, gírias, lugares-comuns - interesse pelo homem vulgar e pelo coloquial - valorização poética do cotidiano na temática e na linguagem - poesia humorista, social e inconformista.  //  PROSA MODERNISTA  -  Principais características resumidas - Preferência pela análise das emoções, estados mentais e reações dos personagens em lugar das ações externas - pouca importância a causalidade e temporalidade, preferência pela simultaneidade temporal - monólogo interior - realidade apresentada em pinceladas rápidas - linguagem oral, regionalismos léxicos e sintáticos.

 

 

FONTE:

Um velho caderno universitário + recortes variados de livros didáticos, sem identificação.

                                         F  I  M
Rubemar Alves
Enviado por Rubemar Alves em 22/04/2017
Código do texto: T5978436
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rubemar Alves
Salto - São Paulo - Brasil, 50 anos
410 textos (11317 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/07/17 11:43)
Rubemar Alves