Capa
Cadastro
Textos
햡dios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONTESTA플O A플O DISSOLU플O SOCIEDADE DE FATO CC PARTILHA E ALIMENTOS

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 1ª  VARA CÍVEL DA CIDADE E COMARCA DE JARDINÓPOLIS-SP.



Processo n. 000/2008









CARLOS DA COMPAIXÃO, já qualificado nos autos da ação de reconhecimento e dissolução de união de fato cc Alimentos e partilha de bens, que lhe move Eliza Do Pé Rapado, também qualificada, processo em epígrafe, beneficiário da justiça gratuita, por seu advogado dativo, que a esta subscreve (nomeação inclusa), vem respeitosamente á presença de Vossa Excelência para CONTESTAR, como de fato contesta a presente ação, tendo para tanto, os motivos de fato e de direito que passa a expor:




MM. Juiz



Alega a requerente que com Carlos Henrique viveu,
Por um bom tempo a união aconteceu.,
E dessa relação, sua prole nasceu,
E por conta disto, o casamento lhe prometeu.

E por longos anos, como casados viveram,
Afirma que por muito tempo em harmonia conviveram.,
E em prol do companheiro muito a ele se desdobrou,
             Mas de uns trinta dias para cá o requerido mudou.

Continua a requerente, a sua história contar,
Dizendo que com seus esforços bens puderam amealhar.,
E o imóvel da Rua Maria Cely Saud Santos quer partilhar,
E além da partilha, alimento quer angariar.

Porém, doutor Julgador, um salário mínimo pretende ganhar,
Alegando que o requerido, tal valor pode pagar.,
Sem ao menos procurar de tudo se inteirar,
Para saber se tal valor ele pode pagar.

Mas, mesmo assim, sem a menor preocupação,
Se o requerido trabalha ou não.,
Nem mesmo se a tal pretensão,
É possível o requerido pagar sem se expor á escravidão.

Mas a verdade é uma só, sem emprego não há condição,
De o requerido cumprir essa tal obrigação.,
Não se recusa a pagar o pleito de alimentação,
Mas é preciso, conhecer a sua real condição.

O coitado do requerido, sem emprego vive de mendigação,
Se separou da pedinte de tanta provocação.,
Ela, por causa da Igreja, expôs o requerido á humilhação,
Indo a semana inteira a cultos, e a  casa sem higienação.

Outra coisa é verdade, nunca a companheira ofendeu,
Não nega a sociedade de fato, realmente com ela conviveu.,
Mas somente se separou porque ela a ele não compreendeu,
E preferiu vir a juízo, alegando que ele a desmereceu.

Apenas o requerido, solicitou a companheira,
Fosse menos a Igreja, e resolvesse sua crença de outra maneira.,
Mas ao invés disso, cometeu essa besteira,
De ajuizar ação para voltar a ser solteira.

Nega e impugna o requerido,
Que tenha negligenciado e ofendido a companheira.,
Jamais deixou de sustentar o filho e a tem agredido,
Com palavras ou de outra maneira.

Mas de qualquer jeito,
Mesmo a amando, aceita o pedido.,
Já que a companheira bate no peito,
Dizendo que a Igreja é mais importante que o requerido.

Então MM., Juiz há que se verificar com paciência,
O binômio necessidade e possibilidade.,
Já que o requerido, desempregado e em carência,
Vive de favores da coletividade.

É importante dizer, que ficou desempregado por culpa dela,
Que ia todos os dias para a Igreja, e deixava as crianças só.,
Muitas vezes ia para a cozinha e nada tinha na panela,
E das crianças ela não tinha nenhuma dó.

Enfim, por causa das faltas para ficar com as crianças,
O emprego perdeu, e sequer bico consegue.,
Já perdeu até as esperanças,
De alguma firma que o empregue.

E por tudo que das alegações pode ser examinado,
Não tem condições de pagar os alimentos fixado.,
E por essa maneira, tem receio de ser condenado,
E ter que ir pra cadeia, ver o sol nascer quadrado.

DIANTE DO EXPOSTO, vem á Vossa frente com humildade,
Contestar esta ação de grandeza  desproporcional.,
Impugnando a partilha, a pensão e a culpabilidade,
Esperando que julgue esta ação, improcedente ao final.

Protesta e requer provar o alegado,
             Por todo meio de prova  que a lei pode lhe permitir.,
A oitiva da autora e testemunhas cujo rol será ofertado,
No prazo que o artigo 407 do CPC pode lhe garantir.

E é nesses termos que vem requerer,
Destarte todo o sofrimento.,
Para esta petição receber.,
E de pronto dar-lhe deferimento.

Jardinópolis, 12 de janeiro de 2009.




Sócrates Di Lima
OAB/SP............

Obs. Esta defesa encontra-se no juntada no processo, porém, as partes(ficticios) por se tratar de segredo de justiça.
Socrates Di Lima
Enviado por Socrates Di Lima em 12/02/2009
Reeditado em 26/11/2012
Cdigo do texto: T1435690
Classifica豫o de contedo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Socrates Di Lima
Ribeiro Preto - So Paulo - Brasil
6196 textos (348303 leituras)
135 udios (4479 audi寤es)
1 e-livros (22 leituras)
(estatsticas atualizadas diariamente - ltima atualiza豫o em 24/10/14 08:15)
Socrates Di Lima



Rdio Potica