Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Jurisdição poética


Visto que gotas soam como versos em páginas transparentes,
Venho por meio desta declarar o direito fonético assistido por testemunhas aqui ausentes,
Sílabas perdidas entre hiatos e ditongos de uma poesia inacabada.

De comum acordo entre consoantes e vogais, revoga-se aqui,
A questão levantada da jurisdição deste poema,
Sendo que o autor deste tenha sua prisão preventiva decretada imediatamente,
Ou qualquer um em posse deste, mesmo que apenas em meio à leitura casuística,
Não permitindo assim a propagação de textos líricos ou similares,
Em toda a mente preparada
ou em qualquer ponto de vista espalhado pelo território nacional.

Ficam revogados quaisquer direitos assistidos a esta leitura,
Que seja cumprido imediatamente o desejo judicial,
Mesmo que para isso sejam confiscados os olhos deste leitor atento.

Divina sejas Regis
A clava que se afronta,
Sem trégua clamo a fronte,
Se o tento for demente.

Aos vinte dias de março do ano palindromico de dois mil e dois da era cristã,
Subscrevo

Lorenzo Giuliano Ferrari
Juiz da Comarca L.P.P./SSP
Lorenzo Giuliano Ferrari
Enviado por Lorenzo Giuliano Ferrari em 31/10/2007
Código do texto: T717210
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lorenzo Giuliano Ferrari
São Paulo - São Paulo - Brasil, 54 anos
1837 textos (51328 leituras)
1 áudios (2457 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 07:35)
Lorenzo Giuliano Ferrari