Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Trova do Tempo

Sabemos que o tempo passa,
também que não se detém;
a compasso, qual a graça
que pensam que o tempo tem?
 
Se há coisa que o tempo tem
e que todos querem ter,
é tempo só para o bem,
tempo p´ra dar e vender.
 
O tempo nunca se esgota,
nunca sequer esmorece...
tempo p'ra bater a bota
mas tempo nunca fenece.
 
Passa lento para o jovem,
depressa para o idoso,
devagar, não o demovem
de ser lesto e caridoso.
 
É tempo de dar ao tempo
o tempo de o tempo ser;
p'ra ver o tempo que o tempo
demora p'ra o tempo ter.
 
Sintra, 09/02/2005
António CastelBranco
Enviado por António CastelBranco em 15/06/2006
Código do texto: T175797
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
António CastelBranco
Portugal, 56 anos
57 textos (1698 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 01:55)
António CastelBranco