Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FLORES DE TRACUATEUA (Canto nº 3)


Flores de Algodão

Não são palavras extremas
que ora trago na mão,
uns seis ou sete poemas,
flores brancas de algodão.

Os Lápis

Perde-se aqui o meu verso
entre meus dedos compridos,
o vago azul do universo,
os lápis adormecidos.

Simetria

Nada existe mais centrada
e aposto com quem quiser,
harmônica, simetrizada
que a vulva de uma mulher.

Insignificância

Com a mão larga e comprida
junto um punhado de areia,
vale bem menos a vida,
um terço dessa mancheia.

Trova para se consolar

Eu bem sei que embora sendo
a vida breve e amarga
vou, no entanto, vivendo
que a morte é certa e se alarga.
Enzo Carlo Barrocco
Enviado por Enzo Carlo Barrocco em 01/07/2005
Código do texto: T29965
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Enzo Carlo Barrocco
Belém - Pará - Brasil, 56 anos
733 textos (134412 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 09:21)
Enzo Carlo Barrocco