Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Trovas do amor etéreo

Torno a ver-te, musa cálida,
Detrás dos gradis de ferro,
Demônios, em celas, cerro,
Sob um céu de lua pálida.

Como Deus deixa a donzela
Nas garras da águia infame?
Jovem pura, eis meu ditame:
“És a mais frágil gazela!”

Se fez da Vinci a pintura
De eterno sorriso a Bela,
Por que teu choro é procela,
No claustro de uma brochura?

Decifra em teu seio arcano,
Senhora da vil pilhéria,
Cura-me a dor e a miséria,
Dá-me o amor mais insano.
Nel de Moraes
Enviado por Nel de Moraes em 01/10/2005
Código do texto: T55400
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.neldemoraes.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nel de Moraes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
407 textos (351740 leituras)
2 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 06:57)
Nel de Moraes