Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu dengo...vem!

 

Vem, meu dengo...vem, meu nego,

Correndo pra me dengar...

Vem me fazer um chamego

Que hoje eu prometo te dar!

 

O quê!? Um gostoso beijo

Molhadinho de paixão.

E, na chama do desejo,

Incendiar teu coração!
(Milla)
***

Vou-te dengar, com certeza,
 Dar-te amor e carinho,
 Sentir, contigo, a beleza
 De não se viver sozinho.
(Mário Guimarães)
***

Eu também estou chegando
Para contigo trovar
É que sou muito dengosa
E vou logo me aconchegando.
Portanto meu amor
Vem correndo me abraçar
Pois o meu melhor calor
É dos abraços que me dá.
Vem amor, vem sem demora
Pois se você demora
Outro pode aparcer
Querendo me aquecer.
(Angela Rodrigues)
***

E é gostoso um carinho
Entre o homem e a mulher.
Melhor ainda no cantinho
Pois se faz o que se quer.
(Ana Paula Araújo)
***

Levo o meu dengo pra minha cama,
 e o indispensável pra lhe estremecer. 
Teu sono, meu dengo, me deixa louca, 
quero ficar contigo sem mais adormecer.
(Mira Ira)
***

Um dengo é coisa tão boa...
pra aquecer um coração.
Parece uma coisa à toa...
Mas, mexe com a emoção!
(Zélia Nicolodi)
***
 

Um dengo me deixa dengosa
derrete o meu coração.
Sem dengo eu fico manhosa
e a tudo só te digo - Não!
(Tania Rachel Boos)
***

Meu dengo tem um sabor, 
O sabor do meu bem querer.
Quero sentir todo o amor, 
Da sua boca em mim se perder.
(Helen Dante)
***

Vivo sonhando,
chamando você.
Na alma o desejo
de Amar pra valer
Beijando a lua
O céu e o mar
Encontro as estrelas
Dentro do teu olhar
(Xama)
***

Nesta tua boca me perder
em teu xamego deitar e rolar.
És meu dengo vou me perder
Em teus braços posso até delirios viver!
 
(A Flor Enigmática)
***

Vem meu dengo, vem sim
não me deixe a esperar
este amor queimando em mim
me leva tua boca à beijar.
(Angélica Arantes)
***

Sou do tipo carinhosa,
 nos versos que aqui te faço. 
Uma poeta dengosa, 
prontinha pro teu abraço...
 
(Charlyane Mirielle)
***

Vem cá meu dengo 
que eu vou te mostrar 
Chamego doce 
em noites de luar.
 Fazer carinho 
sem se preocupar.
 Vem cá meu dengo! 
Eu quero é mais amar.
 
(Ane Franco) 
***

O meu dengo não é gente
É o piano lá na sala.
É um dengo diferente
Que com a minha alma fala.
O seu som é mavioso
Me transporta ao paraíso.
Com ele não tem nervoso
Com ele só tem sorriso.
(Claraluna)
***

O meu dengo me abraça
quer logo encostar.
Um beijo gostoso
na boca me dar... 
Vem meu dengo...
(LuciAne)
***

Meu corpo todo estremece
Só de falar em dengar
Já me vejo a ti colada
Em vias de debitar.

 Debitar o meu carinho
Doses de intensa paixão
Chamegos enfeitiçados
Embalos pró coração!
(Lucibei)
***

Um dengo é meu presente
Alívio que faz levitar.
Acaba com o lado carente
E faz teu coração balançar.
 
(MariSaes)
***

Dengo de AMOR
Tem mistérios...
Das coisas do querer-bem.
Quem tem seu dengo
Não o largue
Nem o deixe pra ninguém...
(Vanuza)
***

Sem o dengo do meu nego
não consigo mais ficar.
O minuto vira hora
quando ele não vem me xamegar...
(Cássia Dias)
***

Proceis o meu dengo,
não vou contar.
Ele tão molengo
 que não vão gostar!
(Maria Thereza Neves - TT)
***

Quando se ama alguém
 É dengo pra cá e pra lá... 
Quero um dengo também
 Sou filha de Deus, Oxalá! 
(Anne Lorene)
***

Um dengo eu também tenho
 e olha como eu gosto de dengar... 
É meu dengo é meu cheiro... 
O certo é que gosto de brincar... 
Todos esses dengos... 
são bons no namorar... 
(Socorro Castro)
***

O meu dengo é diferente. 
Mora na casa dos sonhos, 
se veste de anjo, mas é gente, 
que em meu céu veio morar... 
Ah meu dengo, eu só quero te amar!
(Izabel Dias)
***

O meu dengo é carinhoso
Fala baixinho no meu ouvido.
Palavras cheias de encanto
Que não me contenho
E me entrego logo.
 
(Gláucia Ribeiro)
***

Ô amiga curiosa 
essa que eu arrumei. 
O meu dengo faz-me prosa:
 e causa inveja, eu sei. 
É a mim que ele quer, 
não vai atrás eu te digo. 
Eu sou a sua mulher: 
não quer nada, não, contigo.
(HLuna)
***

Meu dengo se chama amor
meu dengo se chama amigo.
Gostoso ter seu calor
como é bom dengar contigo!

Meu dengo mora ao lado
meu dengo dorme comigo.
Gostoso poder dengar
ela é sempre um domingo!
(zeca repentista)
***

No recanto tem chamego
no meu quarto os desejos.
Meu amor denga gostoso
dengosinha já estou. 
(Sônia Ortega)
***

SOU TODA DENGOSA
PRA VOCE EU FICO PROSA.
VOU TE DENGAR 
ATE VOCE ME AMAR
PRA UM DIA ENTAO 
EU DENGO VOCE VIRAR!
(Lu Ferraz)
***

Cutuca meu coração, dengo meu!
Vem me tirar da solidão!
Dou-te minha foto, que escondeu
A minha face, com medo da razão.
(Ledalgue)
***

Não sei se posso te chamar
Assim, sei lá, de "Meu dengo"
Mas posso sim, te admirar
E sonhar que estou te tendo...
(Adriany Cristine)
***

Dengo nesta vida só tivi dois
U’a foi a quirida i inisquicívi Maria.
Só quin i Catulé apareceu u’a depois
Mai éça num mi deu mutia aligria.
Mais apareceu mutios dengu agora
U’a ni Brazia i outra ni Sun Pálu.
U’a na cidadi di Juiz de Fóra
I as ôtras desposna eu falu.
Mai dengu é um trem gostosu
É u’a dimontração de amô
É u’a coiza ancim maraviozu
Das peçoa boa qui agenti ci incrontô.
Um carin memu sendu distanti
Memu di argúem qui agenti nem cunheceu
Mi faiz bem memu pur um instanti
Êcis dengu aqui du recantu 
ta nu coração meu.
São dengus qui adoru rispeitosamente
Qui condu somi faiz farta pra eu
Vô modelanu cada um na mia menti
Êçis dengus qui cumigu cunviveu.
(Airam Ribeiro)
***

Dengo so pode ser muito bom
qdo vem daquela pessoa
 que morra em nosso coraçao...
Entao vem meu dengo
quero ti amar 
meu menino dengoso.
(Eudália Alves Martins)
***

Dengóza, mi fáiz um dêngo
Dispôis mi leva pra câma.
Vâmo fazê munto amô
Cum vontádi di quêim âma.
Ançí, ançim, vai mi levãno
Vái mi fazêno um cafuné
Eu tô inté estremicído
Da cabêssa inté os pé.
Nóça, cuma é gostoso
Na sua câma eu ficá
Ancê vai cunhecê agóra
Um jôgo nunca visto iguá.
Cumessêmo as brincadêra
Ancê fôi lógo istranhá
Cuma pódi êssi máxo
Tê cumeçádo a roncá?!
(Pedrinho Goltara)
***

Dengo é amor,é presente
Que faz a gente sonhar.
Ver o mundo derrepente
Como um lugar pra Amar.
(Canto do Cisne)
***

Bela garota dengosa
fico feliz meiga flor,
criatura maravilhosa
n'um sonho de amor! 
(Maurélio Machado)
***

Cheguei da roça atrasadu,
 mais num percu o meu riscadu, 
vô dexá intão, aqui o meu recadu; 
dengo bão e meladu 
beju doce e molhadu 
carinhu dengosu mió num há
 do que de um caipirinha apaxonadu! 
(Poeta Caipirinha)
***



img340/4392/barrafloreslindasmp7.gif

Aqui fecho esta Ciranda

De todos que têm um Dengo!

De maluco a mamulengo

Todos entraram na dança

Pois quem não é mais criança

Tem um amor pra dengar

E aqui está a prova

De que todo mundo ama

Deixando aqui sua Trova

Na ciranda desta Dama,

Que gosta mesmo é de amar!

Obrigada, aos amigos

Que vieram participar.

E quem não trovou também

Na próxima, podem entrar!

(Milla
***

Milla Pereira
Enviado por Milla Pereira em 07/09/2007
Reeditado em 12/09/2007
Código do texto: T642374

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Milla Pereira (http://www.millapereira.prosaeverso.net/)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Milla Pereira
São Paulo - São Paulo - Brasil
2954 textos (494022 leituras)
42 áudios (7884 audições)
14 e-livros (6401 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 03:04)
Milla Pereira