Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BICHO HOMEM




Na terra, nossa existência,

Tem uma motivação,

Fomos feita na inocência ,

De uma costela de Adão.

 

Por isso tá explicado

Essa desesperação,

Sem um homem ao nosso lado,

Entramos em depressão.

*****

(Milla Pereira)

Amiga, pois tenho dó,
De mulher abandonada,
Pois é muito melhor só
Do que que mal acompanhada.

Mas, convenhamos, querida,
Que aquele moreno gostoso
Não pode faltar nesta vida
O seu beijo carinhoso.

*****

(Claraluna)

Deus nos fez seres gregários
Pra não vivermos sozinhos,
Já chegamos ao centenário,
Ninguém muda seus caminhos.

Na velhice é que  sabemos
Quanto dói a solidão,
E assim sozinhos morremos
Com mágoas no coração.

É melhor ter um parceiro
Pra nossos pés esquentar,
Conversar, ser companheiro,
Um ao outro se amparar.


(Mira Ira)

Um ao outro se amparar,
Eu prefiro um cachorrinho,
É mais fácil de cuidar
E só fala um tiquinho.

Se eu pudesse escolher
Entre o homem e o animal,
Ficaria com o segundo
Pois é fiel e não faz mal.


(Mila Pereira)

Eu só quero amparar-me
Em seu meigo e doce abraço,
Para quando en cansar-me
de prender-me em outros laços.

Só você será capaz
De dar-me o que preciso,
Amá-lo cada vez mais
Recuperar meu juizo.

Vagando em outro caminhos
Eu feri meu coração,
Porém, Tendo seu caminho,
Eu recupero a razão.

(Claraluna)

Ó meninas injuriadas
Com esse bicho varão,
Não aprenderam, danadas,
Que eles dão a solução?

Podem ser chatos, ciumentos,
Mesmo quando são gagás,
Mas sem eles, o tormento,
É dificil suportar.

Deixa só aparecer, 
sua primeira ruguinha,
Pra você se aperceber,
Que tá ficando velhinha.

Então mudam os valores,
É uma revolução,
Descobres outros primores
Que te impediam a visão.

Eu prefiro o meu velhinho,
Cavalheiro, elegante,
Que eu não deixo sozinho
Pra não perder meu galante.

Que me ama e me respeita,
Conhece tudo da vida,
Que em hora insuspeita
Me oferece margarida.

Abre-me a porta do carro,
Diz que sou sua mulher,
Que eu sou feita do barro,
Do barro que o homem quer.

Eu também já tive um cão
Que latia como ninguém,
Símbolo da solidão,
Que hoje mora no além.









Hull de La Fuente
Enviado por Hull de La Fuente em 08/09/2007
Reeditado em 09/09/2007
Código do texto: T643987
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hull de La Fuente
Brasília - Distrito Federal - Brasil
2667 textos (398025 leituras)
2 e-livros (184 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 12:01)
Hull de La Fuente