Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma coisinha que chora.

Só quando eu escrevo os meus versos
É que eu me torno diversos
Mas fora dai eu sou eu apenas
Escrevendo sou trovador sou poeta
Amante da natureza,pregador e profeta
E bravo quando pelas minhas paixões me condenas.

Escrevendo sou alguem que flutua
Aquele que tem a alma despojada e nua
De todo tipo de inveja e maldade
Sou um ser movido a paixão e amor
Um embriagado pelas cores e o perfume da flor
E tambem uma coisinha que chora quando bate a saudade.

E fora dai eu sou simplesmente eu
Que tanta coisa já compos e escreveu
E que não cança de gritar que ama
Compondo minhas rimas sou ciumento
As vezes procurando um discernimento
Sou a a alma que mais grita e reclama.

Sou um eu dividido em muitos
Repleto de intenções e intuitos
Defendo o amor com veemencia
Prezo demais uma sincera amizade
Minha bandeira de apresentação,a verdade
E ser amado a unica receita para a calma e paciencia.

Não sei quantos eus existem em mim
Sou muitos e sou unico enfim
Cheio de erros e com vontade de acertar
As vezes tão firme,outras tão dividido
Mas todos os meus eus estão decididos
A nunca, jamais deixar de amar.
Pedro Nogueira
Enviado por Pedro Nogueira em 28/09/2007
Código do texto: T672707
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Nogueira
Campinas - São Paulo - Brasil, 64 anos
6223 textos (165311 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 00:59)
Pedro Nogueira