Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANDANDO NA MODA...

A Primavera está prosa,
colorida de ilusão,
mas padece em tons de rosa,
dégradé do coração!

(Aldo Lopes)

[Variante da trova "replicante" postada em comentário para a Trova 35 (Flores de Ouro) de Kathleen Lessa]


===================================================

Agradeço a todos os amigos (as) pela cumplicidade poética:


Dégradé em tons de rosa
não tem muita animação...
Escolhe uma cor mais prosa...
O vermelho da paixão!

(Zélia Nicolodi)


Ilusão tão colorida
é feita de ingenuidade
Às vezes fica sofrida
por viver só de saudade

(Anaclara Ribeiro)


Buganvília em confabulação
Estimulando sua fantasia
Mas chora por tantas flores
Mortificando o seu prazer

(Edson dos Santos)


Uma trova maravilhosa,
saída da inspiração.
Possui perfume da rosa
que vive no coração.

(Jorge Gil Gomes de Azeredo)


Degradée do coração
são artérias coronárias
Que às custas da emoção
nunca ficam refratárias.

(Sônia Maria Cidreira de Farias)


A Primavera antecipa
as novas cores do verão
Se transforma em tulipa
e tudo vira emoção...

(Regina Bertoccelli)


Se depender da cor rosa
pra vovó aparecer...
Ela fica até com o verde,
até o rosa amadurecer.

(Salete)


Esses tons da Primavera
estão meio amalucados...
jánão são o que mais era
tem Inverno misturado!

(Milla Pereira)


Com inverno misturado?
fica um pouco esmaecido...
use levemente o dourado
esse brilho será benvindo!

(MariSaes)


Nessa Primavera todas as cores são belas
Mas, amo a cor rosa, a verde e a cor amarela
Ah, quem dera, nossa vida fosse sempre bela PRIMAVERA!

(RosaAmbiance)


Bem vestida está a rosa
agarrada a um bonitão!
Para o cravo se fez prosa,
deixou o jasmim na mão!

(Kathleen Lessa)


A primavera é fogosa
traz com ela, sensualidade
em cada flor e em cada rosa
um misto de felicidade

(vera cruz)  
Aldo Lopes
Enviado por Aldo Lopes em 03/10/2007
Reeditado em 31/10/2007
Código do texto: T679300

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Aldo Lopes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aldo Lopes
São Paulo - São Paulo - Brasil, 61 anos
416 textos (38027 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 03:03)
Aldo Lopes