Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOBRAS DE MENDICIDADE

"Aldo, por favor, não suma,
 peço pelo amor de Deus!
 Estou carente e em suma,
 leia agora os textos meus!"

Diante dessa postura,
que configura um assédio,
mostro não ter compostura,
não sou remédio pra tédio!

Acho que mereço isso,
por, por aí, ter andado,
mas descarto o compromisso
neste recado mandado!

Renovo sempre meu voto,
sem medo de ponta-pé,
para quem eu sou devoto,
prossigo orando com fé:

“Poderosa Santa Anta,
mande logo mais castigo!
Pois quanto mais me adianta,
mais me apego contigo!”


-------------------------------------------------------------------

Agradeço a á-bê-cê
pela credibilidade,
ao provar quem é você,
"qualquer coisa", NULIDADE!

(Em resposta ao comentário de “.abc", cujo e-mail é qualquercoisa@hotmail.com)
Aldo Lopes
Enviado por Aldo Lopes em 24/10/2007
Reeditado em 26/10/2007
Código do texto: T707734

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Aldo Lopes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aldo Lopes
São Paulo - São Paulo - Brasil, 61 anos
416 textos (38034 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 07:42)
Aldo Lopes