Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MÓRBIDA INQUISIÇÃO

Questiono aos finados,
se lá é mesmo melhor,
ou se foram enganados
e morrer é bem pior?

Como não virei presunto
e de morte eu não assunto,
por ser mais vivo, pergunto:
Alguém entende do assunto?!

(Aldo Lopes)


-------------------------------------------------------------------

Agradeço a todos que interagiram poeticamente com esta questão:


Se livrar dessa matéria
pesada e tão exigente...
É mesmo coisa tão séria
mas, alivia a gente...

(Zélia Nicolodi)


Não temo a outra 'vida'
a espero naturalmente
irei quando Deus quiser
pois não ficarei pra semente.

(Maria Luiza D Errico Nieto)


Quando eu por lá estiver,
ou se como anja voltar,
farei como você quer:
correndo virei contar!

(Kathleen Lessa)


Melhor ou pior
Ainda não quero saber
Quero mais é viver
Acompanhada ou só!

(Ângela Rodrigues)


Meu caro Aldo não quero
Nada lhe adiantar.
Mas quando eu for, espero
Poder vir e lhe contar!

(Milla Pereira)


Não gosto nem um pouco
desse assunto falar
Estou tão viva
E com muito amor pra dar!!!

(Fátima Feitosa)


Quem não se dá bem com a vida
achando que ela é macete...
Ir pra lá não é saída
E tá sobrando bilhete!

(Salete)


Se alguém sabe a respeito
Este seria Lázaro, pois,
Morrer na carne é direito
Mas na alma é imperfeito

(Mirão da Estrada)


Ninguém voltou para contar
o que sucede após o banquete
da cadeia alimentar.
Mas, é fato inconteste
que quando dona morte chegar,
pronta posso não estar,
mas ela me levará.
Posso fazer o teste,
teu pé venho beliscar.
Se eu não vier
na dúvida continuarás...

(Ana Karênina)


Morte, morte quanto dilema.
A curiosidade sempre a espicaçar.
Mas confesso um dos meus temas preferido.
Sempre a me atormentar...

(Martamaria)


Não gostava de falar
Agora, falo sem medo
Pior que os mortos enterrar
São os vivos que estão a embaçar...

(Vanuza)


Morte já me rondou
porém não me levou
Confesso meu medo
que é morrer sofrendo

(Malubarni)


Bem mais vivos no além,
os que nos antecederam.
Muitas vezes bem aquém...
pois de nós não esqueceram!!

Não nos forçam acreditar
nem pedem resolução
pois que todos vão passar
nos "mistérios" do caixão!!

(Sônia Maria Cidreira de Farias)


Desse assunto não entendo,
saberei quando morrer?
Só acredito vendo
Ou preciso crer pra ver?

(Terezinha de Souza Garcia)


Um tema tão instigante
que prefiro não opinar
Quero a morte distante
de meu viver e pensar.

(Regina Bertoccelli)


De morte nada entendo
Da vida nem sempre compreendo
Pior que quando morrer
Não voltarei pra te dizer

(Rose de Castro - A 'POETA')
Aldo Lopes
Enviado por Aldo Lopes em 02/11/2007
Reeditado em 06/11/2007
Código do texto: T719840

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Aldo Lopes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aldo Lopes
São Paulo - São Paulo - Brasil, 61 anos
416 textos (38034 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 22:08)
Aldo Lopes