Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Repontando Rimas


Sou gaudério e, quando canto
Rimando deste meu jeito,
No verso grosso e mal feito
Ato um lenço à meia espalda.
Da memória faço armada
E o meu toso se alevanta.
Um cantador, quando canta
Num atavismo milongueiro,
Tem sempre um verso folheiro
A galopar na garganta.

Enquanto me vou cantando
Copo a banca da milonga.
Dança o bugio co’a araponga
E vou repontando as rimas.
Rimam bordonas e primas
Contando de uma peleia,
De um bagual que velhaqueia,
Do amor da china lindaça
E se afinam na cachaça
Num balcão de pulperia
Pois rima não se extravia
E guasca não cabresteia.

Iberê Machado
Enviado por Iberê Machado em 31/01/2006
Código do texto: T106476
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Iberê Machado
Viamão - Rio Grande do Sul - Brasil
30 textos (3288 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 06:21)
Iberê Machado