Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RAÍZES SERTANEJAS

Canto à vida, sou o Tião
e luto com a sorte.
Sou poeta
e vivo no sertão de sul ao norte.
Riqueza é a fonte de minha imaginação,
também o pó da estrada
na certeza que rega o chão.
Com a minha viola rasgada,
com minha voz rouca e cansada
e de vez em quando...
também, com as minhas lágrimas.

Pois, quando a seca é forte,
eu canto também pra morte
que leva aqueles que sofrem
sem nada ter pra comer.
Precisa ver pra acreditar
que é de cortar,
os caminhos do coração.

Chuva aqui nem se fala,
mais há muito calor,
alguns calangos e plantações de palmas
e o povo sua dor esquece,
quando eu me ponho a cantar.

Cantar, sempre foi o meu destino
dom que trago desde menino
e o faço com devoção.
Pra ver se anima essa gente
que planta na vida somente
esperanças que molham a terra
com as sementes da devoção.

E vamos colhendo os frutos da fé,
classificando a seca de guerra
que mata e fere diversos inocentes
sem ter dó, compaixão e nem piedade
desafiando a agonia
no calvário de tantas necessidades.

Ah!
Cantar não traz a felicidade,
mas faz o tempo passar.
Revelando a força de quem vive a lutar
com garra e dignidade,
que aumenta nossa liberdade
de fazer nossos sonhos
criar asas e um dia voar!
 
Fim desta, Cristina Maria O. S. S. - Akeza.
18/05/1999.
Akeza
Enviado por Akeza em 01/02/2006
Reeditado em 23/02/2014
Código do texto: T106725
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akeza
Canavieiras - Bahia - Brasil, 55 anos
2367 textos (403163 leituras)
59 áudios (108003 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:20)
Akeza