Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VAZIO...


 
De mim
do mundo
das pessoas
dos rótulos que nada dizem
dos doidivanos
dos perseguidos
das lagrimas que rolam
face insensíveis
faces sensitivas
perdidas no vazio de si
em sua busca eterna
do completar sua unidade só
que a deambular segue caminhos
outros que não o seu
Vazio
Vazio de Deus
do Oco que gera vida
que gera a paz
essa tão sonhada paz
que do nada floresce
como uma semente jogada ao leu
e desponta do nada dando
vida ao vazio da vida
que é gerada da inutilidade
dos que caminham passos errantes
em caminhos tortuosos
deixando em cada esquina a sua
máscara fétida
suas escarras dilapidadas
no vai e vem da vida
desse jogo sutil do nada saber
e se escondendo a face verdadeira
por medo de se mostrar
que e amor
puro amor
nesse mundo vazio de seres opacos
que nada trazem dentro de si
a não ser a arrogância de nada ser
nada construírem para o amor
e sim venerar cada dia mais o desamor
o ódio implantando como larvas
malditas deixando suas marcas
em rostos rotos e enrugados pelo
descaso , pelo nada , pelo vazio
de si em sua eterna destruição
do não acordar
do não perceber que existe um sol
uma luz a brilhar
e mesmo assim continuam a perambular
no nada e no caos afundando cada vez mais na opacidade, no negrume
dos dias incontidos
das verdades isoladas e desconhecidas.
Mundo  Oh\" vasto mundo em que caminho me perdi que não encontro
meus pés para continuar minha jornada.
Onde encontra minhas mãos que sempre foram de ternura e hoje defensora das
pedras que me atacam
das balas perdidas que teimam em alojar nesse corpo que lento fenece
mas que ainda insiste em sobreviver no meio de tantas guerras e injustiças

Pai de Misericórdia
o que fazer desse vazio imperante desse mundo macabro
onde o ódio ganha proporções animalescas
e o amor dissipa para os cantos e ventos da aragem perdida em mundos
desconhecidos
Onde encontrar o sulco que da vida
onde encontrar a luz que ilumina
onde encontrar o tudo que preenche vida e retira esse imenso vazio da alma
errante e perdida
Pai ! Misericórdia
nessa hora de desespero
de angustia dentro de um caos imenso
onde o cinza tinge o vazio de mim
navegando mares do nada
do findar
no negro perfume que acalenta o tempo
tornando o inútil como o vazio que trago nesse instante de total
inutilidade.
Misericórdia Pai
Retira esse vácuo que me suga
traga me a luz
traga me o meu eu que é amor
e não essa  nuvem tenebrosa que impõem contra minha vontade
Vazios....
Vazios de mim
em busca do todo que sou
Misericórdia Pai
Piedade nesse momento de dor
Acorda-me desse pesadelo onde minha alma navega os umbrais desse fétido
mundo perdido do desamor
Piedade Pai
Traga-me de volta a mim
Ao meu todo que sou
Não ao nada que  nunca me venceu.

20.06.04
20.40
 
ZEL
Enviado por ZEL em 02/01/2005
Código do texto: T1093
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ZEL
Aparecida de Goiânia - Goiás - Brasil, 69 anos
311 textos (33905 leituras)
8 e-livros (802 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/16 09:14)
ZEL