Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Touro que era, coqueiro que não era....

Como esse acontecido aconteceu lá pros lados do córgo São Paulo e quando fui contá me dissero que a história é de um caipira de Andradina, mando esse conto aí procêis, de modo que se aparecê o dono lho entregue, por favor.
Muito obrigado.
E assim se deu:
 
TOURO QUE ERA, COQUEIRO QUE NÃO ERA...

Se é prá falá de virges, me alembro da bela-Emília, e digo logo que é pé, mas não é pé de bicho ou de muié. De modo que assim se trata de outra planta, que não é planta de pé. É um arbusto que dá florinhas de penca, tudo se parecendo com as azurzinhas das florinhas que tem nas roupas dos bebês.
Mas esse assunto é prá outra hora, que agora é hora de outro assunto, mais bestunto, que não é.

E não é que é, que o Chico-Bebe-Todas atravessava os pastos das fazendas, quando ia na cidade, no domingo, com sua roupa domingueira e botina rangedeira.

Ia na missa, passava nos botecos, de tarde olhava as muié-damas, dançava rumba no cabaré e voltava sempre de noitinha, pé lá e pé cá, pelos pastos, di a pé.

Numa segunda tava o Chico arrebentado, de bandagem a esparadrapo, e até um braço na tipóia.

- Chico, isso foi atropelo, né? Inté já disse que o tal do João-Bom-de-Volante um dia mata um de nóis com o fenemê.

- Mas que mané atropelo seu Zé? Num sabe o touro do Zé Garcia, que deu carrerão ni nóis, no dia de São José?
Pois é que é, eu ia pelo pasto, campo aberto, e olho que olho e lá vem dois touros, chifres prá baixo, endemoniados pro meu lado.
Corro de um lado pro outro e nada dos touros mané cansá.
Vejo então dois coqueiros que tem lá, e corro mais que os touros e aperreado escolho um dos coqueiros e fico lá...

- Já vi que não foi atropelo, né Chico?  mas foi a queda do coqueiro...

- Também não, meu cumpadre, foi mesmo touro de chifre.

- E ué! ... não subiu não no coqueiro?

- Pois é que é, tinha dois touros, e também dois coqueiros, como se vê tudo dobrado depois da cangibrina sem café.
E aí foi que eu subi no coqueiro que não era, e o touro que era me pegou...

- Tá vendo ocê, o perigo que não é? ...


Marco Bastos
Enviado por Marco Bastos em 09/02/2006
Reeditado em 09/02/2015
Código do texto: T109942
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para "http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=1583 "). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Bastos
Salvador - Bahia - Brasil, 72 anos
1717 textos (87476 leituras)
2 áudios (495 audições)
1 e-livros (791 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:33)
Marco Bastos