Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem nome

“Hoje não tenho país ou terra batida
não tenho mais ou menos idade
nem um nome que me diferencie dos outros... ”


Na fúria do entendimento
na mágica viagem que te trás até mim
no romance da palavra
do saudosismo e nostalgia…
Ah, mas é disto que eu sou feita
de romance e ficção
até um pouco de terror, quando inevitavelmente anoitece.
E eu temo a escuridão, como uma criança teme o mal…
Ah…Se eu voltasse a ser criança, viveria tudo para não crescer e viver em função do que lá ficou…
Ah…esse enigma do tempo,
esse labirinto que sou eu
essa chave sem tranca
sem agonia
sem derrotas e vitorias
com  sabores a raízes…
Ah…Estas raízes…Este ênfase que dou à letra,
esta graça que trago às palavras
estas lágrimas que te trago ao rosto
quando vês e sentes o que me coração me dita.
Penso em ti
como detalhe e mensagem
como trajecto do meu caminho
lição ou migalhas
para que me encontre e não te perca rasto…
Ah... Essa alma vadia
que me acompanha a vida
meia companhia em efeitos de solidão
Essa gente sem nome que olho de baixo
em factos de esperança
Em cravos de alma…
Esse mistério…
Esta gente sem nome…
Joana Sousa Freitas
Enviado por Joana Sousa Freitas em 13/02/2006
Código do texto: T111214
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Joana Sousa Freitas
Portugal, 40 anos
118 textos (7239 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:29)
Joana Sousa Freitas