Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No fundo do poço

Cá estou, no fundo do poço
Minha vida desabou, profundo desgosto
As circunstâncias me trouxeram pra cá
Entreguei-me, cansei da vida, deixei de lutar

De tanto ver triunfar as nulidades
De tanto presenciar as falsidades
De tanto ver o choro incontido
Desisti, ontem vencedor, hoje vencido

Isolei-me do mundo, minha luta perdi
Fechei-me nas trevas, deixei de sorrir
Cobri-me de indiferença, tapei os ouvidos
Os anos passados, todos perdidos

Não choro, os sentimentos são ausentes
Nada me abala, só o peito ressente
Do tempo que outrora perdi
Quando no meio dos homens vivi

Aqui rastejo, vou deixando rastro asqueroso
Na parede escura, na cavidade do poço
Uma única fresta de luz tênue irradia
Minha vida tristonha, prolonga meus dias

Aqui sou um
Lá em cima, apenas mais um
Verme asqueroso, nojento, um réu
Desgraçado, blasfemando de Deus

A raça humana é podre, miserável
Sedenta de sangue, instinto insaciável
Mata, rouba, estupra os seus iguais
Moro no poço, não saio jamais
Juraci Rocha
Enviado por Juraci Rocha em 15/02/2006
Código do texto: T112405

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Juraci Rocha Silva). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Juraci Rocha
São Paulo - São Paulo - Brasil
342 textos (131989 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:27)
Juraci Rocha