Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Crônica

Conheci meu amigo Mucio Sá na contra mão do programado...

Léo Garcia, um acinho muito doce cá da nossa ilha, foi quem na porta de saída, quase aeroporto... nos apresentou.
Email vai...email vem...e não rolava a coincidência...
Daí quando, do meu tudo desistido...do lado Mucio, tudo esquecido...
Nos(s)o familhão, cruzamos numa curva do Alfama com uma turma borbulhante...e lá ia o Mucio levando a nós, seus todos amigos, para o melhor lugar - Tejo - é o nome do bar
Só indo...vá...
Tejo Bar: Beco do Vigário, 1 - Alfama - Lisboa - Portugal

Aperte a mão do Jorge Carlos Amaral de Oliveira, pintor, letror..artista de boa cepa...que recebe e
transcede...meus desejares de fartura...que noite saborosa!!!
Se tiver sorte,como eu, encontrará também Susana Coelho...vozerão denso...pele carregada de expressão...natural dos Açores - ilha Terceira...já pensou??

Mucio Sá, músico sedento...aventureiro...um costureiro de linhas sonoras, encontrando tirem o chapéu, é um querido que ganhamos de presente.

Aí estou de volta e envolta com outra cabeça brilhante - Francisco Coimbra -nosso amigo e poeta de lá que cá já nos avizinha pelo recanto das letras...
 


Crônica das cordas

Reis
Que Portugal
Cobriu
Brasil
Num certo abril
Fado
Solidão
E descobriu
seu varonil
Par
Que em diferenças
Rio história
Confluiu

O navegar
é o mesmo mar
Num outro Abril
Tatiana Cobbett
Enviado por Tatiana Cobbett em 07/03/2006
Reeditado em 21/03/2007
Código do texto: T120063
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tatiana Cobbett
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, 56 anos
586 textos (22009 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:20)
Tatiana Cobbett