Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




Mais um domingo
De solitário recato
De ruas desertas entrevistas
Por uma das janelas
Do outro lado da casa
O Tejo sorri ao fundo
Às nesgas de raro oiro
Céu mármore azul e branco
Lembra que ainda é Inverno
Canta mais alto o canário
O seu sedutor reclamo
Que não chegará ao atento
Ouvido da companheira
E assim se gora a vida
Que pulsa na nossa veia
Solitária. Habituada
À caminhada usual
De casa para o trabalho
E do trabalho para casa
Que se mantém arrumada
Fica-se com a consciência
Do dever – que é penitência
Cumprido de ponta a ponta
E este vazio dentro
Como de quem perde a vida.


Lisboa, 12/3/2006
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 12/03/2006
Reeditado em 12/09/2006
Código do texto: T122116
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130526 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:43)
Maria Petronilho

Site do Escritor