Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A SECA

Sertão de caatinga branqueada e seca,
De matos finos esqueléticos e espacosos,
Implantados numa terra rachada e seca.
De paisagem triste com declives rochosos.

Mata branca em tupi é chamada caatinga,
De sol ardente que parece que tudo queima,
Orquestrando em galhos secos tristes cantigas,
Entre os silenciosos cactos que não se queimam.

Seca sertaneja de mortandade homeopática,
Para as plantações e as criações de pastoreio,
Não para uma parte da flora e fauna apática,
Desanimando boiadeiros que gostam de rodeio.

Caatinga mata de pequenas árvores e cactos,
E frondosas árvores como juazeiro e umbuzeiro.
Morada para os répteis são os pequenos cactos.
Há na seca a sombra fresca e gostosa do juazeiro.

Caatinga pátria ideal e sedentária do gravatá,
Morada de cágados, teiús, preás, tatus e cobras.
Pátria do destemido e sanguinário carcacá,
Que pega, mata e come até lagartixas e cobras.

Seca das circunstâncias da inclusão e exclusão,
Da inclusão da miséria, fome e prostituição,
Da exclusão do êxodo e das aves de arribação,
Que na fé o sertanejo pede chuva em procissão.

Sertão terra amada do santo e paciente jumento,
Que na seca come cascas de paus secos e folhas secas,
Animal de saúde e de serventia para todo momento,
Que no passado supereou o camelo na região das secas.

Oh meu Deus! Deus meu! Dê-me compreensão!
Crianças suadas de barrigas inchadas e pés no chão,
Verbas para as frentes de trabalho como solução,
Nesta fornalha triste semi-árida é muita judiação...

Oh meus patrões da corrupção desta rica nação,
Onde está a saúde e a educação da Constituição,
A saúde não está na religião por força de oração;
A educação não é alfabetização para votação.

Seca é sinônimo de indústria dos oportunistas,
Que diante do estado de miséria e da ignorância,
Manipulam verbas e votos com proficiência.
Seca da sede e da fome é pedestal de oportunistas!...


Salvador-BA, 22/01/2006.
Everaldo Cerqueira
EVERALDO CERQUEIRA
Enviado por EVERALDO CERQUEIRA em 22/03/2006
Reeditado em 08/12/2006
Código do texto: T126695
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
EVERALDO CERQUEIRA
Salvador - Bahia - Brasil
91 textos (79237 leituras)
1 e-livros (187 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 14:21)
EVERALDO CERQUEIRA