Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

400-O AMOR CANSA DE ESPERAR-Forma poética-tradicionalista-Pantum 002

400-O AMOR CANSA DE ESPERAR-

Forma poética-tradicionalista-
didática: Pantum 002

Por Sílvia Araújo Motta

1-Sempre o brinde é prolongado,
(-2-) quando o sol do amor encanta,
3-tudo é perfeito no agrado,
(-4-) a natureza até canta.

2-Quando o sol do amor encanta,
(-5-) ternura perde a medida,
4-a natureza até canta,
(-6-) sem censura, fica a vida.

5-Ternura perde a medida,
(-7-) se vem o ciúme imperfeito,
6-sem censura fica a vida,
(-8-) já não há nada perfeito.
-
7-Se vem o ciúme imperfeito,
(-9-) logo as portas são fechadas,
8-já não há nada perfeito,
(-10-) as vozes, ficam cansadas.
-
9-Logo as portas são fechadas,
(-11-) quando o sol do amor vai embora,
10-as vozes ficam cansadas,
(-12-) depois de tanta demora.
-
11-Quando o sol do amor vai embora,
(-13-) não adianta reclamar,
12-depois de tanta demora,
(-14-) o amor cansa de esperar.

Belo Horizonte, 1º de abril de 2006.

TROVA Nº 0004
PANTUM, malaia canção,
nas Trovas, rimas cruzadas
ostentam repetição,
estrofes encadeadas.

O segundo e quarto versos
de cada estrofe primeira,
primeiro e terceiro versos
no Pantum, é medianeira.

Trova? Na UBT, nunca é uma “trovinha...”
É redondilha maior, de sentido completo.
(quatro versos de sete sílabas tônicas)
exige a rima nos versos:
o primeiro com o terceiro,
e o segundo  com o quarto.(ABAB)
Um abraço trovador
Silvia Araújo Motta.
---***---




Silvia Araujo Motta
Enviado por Silvia Araujo Motta em 02/04/2006
Reeditado em 24/09/2006
Código do texto: T132411
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Silvia Araujo Motta
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 65 anos
6555 textos (668733 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:26)
Silvia Araujo Motta