Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FÉRETRO DA ALELUIA... Vem Comigo.

O Féretro da Aleluia...


Assim esquivou-se da vida! Não sobreviveu
Aos momentos carcomidos de injurias,
Zombando de o mundo ser incauto e feneceu
Escarrando a calunia na boca de Morfeu.

Lamentando a solidão a esconjurar as criaturas
No tálamo que forjou escorada no que teceu
Nas almofadas do pranto, coberta de amarguras
Rogo não fez seu canto, nem uma vela pra Deus...

Nas flores o desencanto foi tudo que a lida deu
As vielas escuras germinadas no lodo breu...
E coevos no velório lhes bombardearam convivas;
O satanás na cólera a gargalhar do que entristeceu.

Na alça esquerda do ataúde, agouros em desarmonias
 A incitar à direita a cobardia, ao inferno que ascendeu
Aos pés nebulosos de júbilo, as brumas enegrecidas
De mentiras gozavam arroubos avaros martirizados...

E na descompostura imundos sentimentos cultivados
 A excomungarem os queixumes que amontoou
Perambulando no espaço tempo, espectros sinistros
 Seguindo o cortejo à dor, levavam-na ao tumulo...

Idos aguerridos torturados a gemerem no que cunhou
Na areia do escárnio, e os déspotas a discursarem
Pra pá na cal do amargo e no lacrar da sepultura
A ira, sob o desgosto que se abateu no jazigo da aleluia...

“A Poetisa dos Ventos”

Deth Haak
“A Poetisa dos Ventos"
Cônsul Poeta Del Mundo - RN
Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do - RN
4/4/2006




Deth Haak
Enviado por Deth Haak em 04/04/2006
Reeditado em 27/08/2008
Código do texto: T133576

Áudio
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Deth Haak
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 57 anos
547 textos (65340 leituras)
50 áudios (9714 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 23:00)
Deth Haak