Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ESCRIVÃO VICIADO


Um homem era tão viciado em escrever que passava horas e horas escrevendo de forma ininterrupta. Seja de dia ou de noite. Gastava uma resma de papel por semana, vários cadernos e blocos de anotações. Até em guardanapo ele não se cansava de escrever.

Até que um dia todo o papel de casa acabou e ele entrou em desespero. Então começou a escrever nas capas dos livros e cadernos, nas toalhas de mesa, nas paredes caiadas, nos envelopes de cartas recém-chegadas, etc, para desespero e revolta de toda a família.

Sua mulher não agüentou mais aquilo e decidiu fazer algo: pegou-lhe pelo braço e o levou até a beira da praia. Ela lhe deu um graveto e pediu-lhe que escrevesse tudo que quisesse na areia da praia. Ele então se desatou a escrever impulsivamente tudo o que lhe vinha à cabeça.

Após rabiscar por horas a fio, a maré foi subindo e uma súbita onda apagou todos os seus rabiscos e inscrições. Ele ficou enfurecido e reclamou à sua esposa de que a maré levou embora todas as suas palavras. Ela lhe contestou, dizendo assim:
- não foram suas palavras, mas sua LOUCURA que foi embora com elas.
Pedro Ernesto Prosa e Verso
Enviado por Pedro Ernesto Prosa e Verso em 03/05/2006
Código do texto: T149547
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Pedro Ernesto Prosa e Verso
Fortaleza - Ceará - Brasil
439 textos (8782 leituras)
1 e-livros (6 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 18:59)
Pedro Ernesto Prosa e Verso

Site do Escritor