Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O DIA EM QUE O DIABO MORDEU O RABO

         


       Foi no dia de São Tomé, lá pras bandas de Rolante,
       ninguém saberá explicar, como deu-se o acontecido,
       todos viram , ninguém conta,
       essa história sem sentido.
       
       Vi falar que nesta hora
       em que o demo apareceu,
       deu faísca, raio, enxofre, tudo a que
       tem direito,
       mas não pensem que fugi,
       sou macho de muito respeito.

       É verdade, não fugi, mas os olhos desviei,
       as pernas correram errantes
       e não sei como explicar,
       minha sombra chegou antes.
       
       E o tal diabo,afinal,
       que foi que fez, que queria?
       Ficou muito espantado
       por conta da correria.
       Mas tenho pra mim que foi engano
       daquele que veio das trevas,
       cair num buraco de vila
       xinfrim, só lodo e macegas?
     
       Mas entonces quem que viu
       o tal diabo afinal,
       se todo mundo fugiu
       pras bandas do matagal?
       Ver de olhar, não viu,
       sentir de encostar, não sentiu,
       cheirar de fungar, não cheirou,
       muito menos provar de sentir o gosto, cruz credo!
     
       Só se sabe que o capeta,
       aquele de nome Diabo,
       de tanta raiva,arranjou
       por morder ó próprio rabo!
                 


       
                 


                         
tania orsi vargas
Enviado por tania orsi vargas em 24/05/2006
Reeditado em 14/04/2008
Código do texto: T162176
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
tania orsi vargas
Taquara - Rio Grande do Sul - Brasil
742 textos (50131 leituras)
4 áudios (506 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:39)
tania orsi vargas