Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CUMPLICIDADE




O maior de todos os prazeres, é minúscula migalha
Ante o orgulho que sentes ao maltratar e espezinhar
Meu coração partido, não bate por si!
Autômato e escravo clama por teu nome
E, indiferente a tudo debochas de mim
Sou o próprio espelho onde refletes
Sem escrúpulo nenhum a tua verdadeira imagem
Provocas-me para que numa atitude de desespero implore por tua presença
Embriago-me neste rio de amarguras
A nicotina nunca teve sabor tão áspero
Disfarças as lagrimas com gargalhadas vazias
Atiras-te desesperadamente em busca do amor, comprado por minutos
Não podes continuar a farsa por muito tempo
Sei que nada tenho a oferecer, nem o direito de te pertencer.
O máximo que posso e acalmar a solidão da tua cama
E nessa hora que somos tão frágeis
Nos descobrimos tão nossos
Choras, verdadeiras lagrimas amargas.
A penumbra tem a magia da confissão
Aconchegas-te no meu peito e o mundo dome por instantes
O único som audível são teus soluços
Viajo contigo para muito longe
E novamente me aceitas como sou
 







 
 











JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES
Enviado por JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES em 25/05/2006
Código do texto: T162879
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES
Eldorado do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, 54 anos
216 textos (80569 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:14)
JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES