Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUE É QUE EU SINTO?

O QUE É QUE EU SINTO?
(Poema de um ego ferido)

Algo confuso
Como um labirinto
Como Ícaro
A fugir do Minotauro
Duas faces da mesma cara
Da qual não estou livre
Pegando nas asas
Fugindo para as estrelas para me salvar
Mas enganei-me, não é de noite
É dia
E por isso as minhas asas de cera
Estou sempre a queimar
Nos meus Domínios Supremos
Nos quais sou Deus e o Diabo
Na inconstância das máscaras
Que me fazem estar do outro lado
O lado negro da Força
Que me seduz pela sua dor
Universos lá estão à minha espera
Quando estou abandonado
Por tudo e por todos
Mas nunca pelas palavras
Que dedico erraticamente
A quem julgo que a minha alma salva
Mas puro engano
Gigantesca ilusão
A esperança está em nós
E só em nós reside a salvação
Quem nos rodeia são apenas personagens
Na grande tragédia a quem chamaram existência
Sós somos
Uma invencível potência
Porque nunca nos desiludimos
Entre nós o jogo é claro
Nenhuma partida é perdida
Nenhum jogo ganho
Porque as palavras como o inferno
Estão cheias de boas intenções
Os actos provam quem somos
Justificam as razões
Que são tão raras
Como água no deserto
E é por isso
E por demasiados poemas
Que nunca te, vos, poderei ter por demasiado perto
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 26/05/2006
Código do texto: T163218

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5077 textos (170352 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:31)
Miguel Patrício Gomes