Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Semblante triste de um povo

Semblante triste de um povo


Sózinho, por entre as sombras das nações,
Debaixo dos pingos da chuva ácida, poluição, ele vai
Sentindo a fome,e o vento frio do maior autoritário
Pelas ruas da vida, mendingo e pobre, ele cai.

Morto, corpo torto.

Caminha, perambula. Triste e inseguro
Diante de seus pensamentos é como se tivesse um muro
Forte intransponível, para chorar e lamentar
Ou para esconder de todos o negror e o horror
De seu próprio futuro

Que as tecelãs da intriga teceram
Para todos que este povo acreditou
Nas avenidas largas onde ele passou
Hoje só restam as fachadas dos prédios

Abandonados, despidos de glória, ética e soberania
E a marcha que um dia tinha compasso e guia
Agora é marcha a ré
Pois o povo suspira em agonia.
Aradia Rhianon
Enviado por Aradia Rhianon em 26/05/2006
Código do texto: T163551

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aradia Rhianon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1208 textos (87667 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:43)