Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto





Há em mim
uma vaga fome
a que talvez chame
ausência.
Não falo de solidão.
Solidão seria
sentir-me vazia
e eu sinto-me transbordante
de carinho, de sorrisos, de afectos.

Interesso-me por tanto!

Não sei onde ir
nem com quem falar.
Tenho tanto e nada a dizer!

Falta-me quem escute,
uma voz que salte do silêncio
e diga: Também vejo e penso.

Amigos estão longe
na busca constante
do que os atormente.
Vejo cada um na sua lida,
mergulhados noutro mundo
que não é nosso
estranho.

Como se eu estivesse boiando
ao largo de tudo,
à deriva de quanto rola
se e-novela
na luta perdida
guerra aberta

Desvairada Terra!
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 15/01/2005
Reeditado em 23/08/2007
Código do texto: T1658
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130528 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:20)
Maria Petronilho

Site do Escritor