Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



Bem Vinda...
Tânia Ailene
 
Chega, entra; aqui esta tudo à sua espera
passei pela escuridão, vi o fim do túnel,
 falta de compreensão
mereço o Nobel da solidão.
Paz que de longe já não me alcança
como queria o simples da vida
passos que reparam as pedras da rua.
Já não olho a vida
almejo o hoje com alegria.
O desapego já se faz presente
não tenho verdades
Sem flores e amores...
Cansei da imposição imposta
pelo que não tenho.
Direitos a mim negados,
não existo, milagres não existem...
Agora a mágoa virando ódio
raiva que se apodera
faz atitudes já sem pensar.
Escrava de valores
decididos por não sei quem
a ninguém importa...
Começo a ter pena
 dos que a mim causam a dor.
Não terei amizade, nem consideração
com quem me nega
a existência do meu querer.
Bem vindo porto cansado
da maldade sem fim...
 
29/05/2006
Tânia Ailene
Rio de Janeiro


www.boemio.com.br/midivoice/inter/letra_B/1_bread_just_when_i_needed_you_most.mid
Tânia Ailene Nua Poesia
Enviado por Tânia Ailene Nua Poesia em 31/05/2006
Reeditado em 21/07/2011
Código do texto: T166627

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia Ailene Nua Poesia
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
886 textos (30278 leituras)
28 áudios (1362 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 06:12)
Tânia Ailene Nua Poesia