Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Não vejo flores, nem amores.

Assombrada fica minha alma
E espantado o meu espírito
Por que no caminho não vejo flores
Somente sinto espinhos, sequer  vejo  cores
Até sinto o   perfume, mas não vejo  amores
Como algo invisível, intocável, inconcebível
mas que  tenho a certeza que aqui está.

Como pode a natureza humana
Se endurecer,  se amordaçar,
Ser o seu próprio algoz
o seu próprio inquisidor
Se materializar no silêncio de sua voz
Negar sua liberdade,  comer o resto, lamber o prato
Morrer sorrindo, e dizer: não sinto dor.

Assombrada fica minha alma, quando vejo então
Que usam cabrestos e aceitam celas
Animais ensinados,  inteligência burra
Insanidade perfeita para as regras
A exatidão  dos passos medidos milimetricamente
Para serem iguais, imperfeitamente iguais
Mansos  e perfeitamente  adestrados
Assim como bestas, que andam livres pelos pastos
E tem a visão de  seu infinito horizonte
Até ali, onde estão as porteiras e a cerca
De arame farpado.

Chora o meu espírito, derrama-se em lástima
Meu coração,  ver assim alegrias furtivas,
Sorrisos passageiros, esmola moral.
“Ah! Mas tá bom, primeira pagina do jornal
Sou astro, sou grande, por hoje sou rei!”
Que mísera e infame abnegação.

Sou gente,  sou sangue, sou suor, sou semente
Sou povo,  sou único, sou eu a minha própria razão
Bandeiras eu ergo pois sou também minha nação.

Que não chore mais meu espírito, nem sucumbam
Nossos sonhos aos devaneios de alguns
Que eu sinta o cheiro das flores, que eu  veja as cores
E por que não, que eu sinta amores
Proclamar a liberdade, libertar a voz, a vaidade
Expandir enfim seu horizonte, acordar do sono constante
De ser um número e nada mais.
angela soeiro
Enviado por angela soeiro em 03/06/2006
Código do texto: T168381
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
angela soeiro
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 52 anos
88 textos (3360 leituras)
1 e-livros (36 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 11:50)
angela soeiro