Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANÁLISE

Quem manda na minha cabeça
não sou eu são os outros...
são os que me olham
os que me analisam
os que mandam na minha vida...
os que estão sempre
achando alguma coisa de mim!
Eles não têm o que fazer,
vivem falando:                                                                                        Você está gordo!...
Não coma cenoura
não beba cerveja...
se eu fosse fazer a
vontade deles
morreria até de fome!
- “São os me olham,
os que me analisam
os que mandam na minha vida!.”
Eles me põem para fora
da cama cedo para trabalhar!
Eles me mandam para casa tarde
para não descansar...
e ficam falando:
- agora você tem que se cuidar!
Até o espelho exerce a sua participação;
olha para mim como se eu
precisasse de um guarda pessoal;
mas, mesmo assim,
eu o protejo das bruxas
que não se enxergam,
mas o espelho chega a
a tremer de pavor!
Elas se melam todas
de pomada e se fantasiam
de Carmen Miranda, isto,
quando não são repuxadas
e trocadas de nariz.
- Se a gente fica agitado
está esclerosado;
se a gente fica nervoso
está neurotizado;
mas se a gente está
com dinheiro e carro
é apenas um adolescente
na melhor fase!
Vejam vocês se eu
não estou com a razão!
Fiquem numa esquina
e comecem a observar
os tipos mais exóticos possíveis:
uns puxando cachorros,
outros vendendo velas...
muitos rodam sem sair do lugar;
outros dão testadas na gente
e ainda chamam pra brigar!
- Os guardas escrevem as multas
as senhoras andam desorientadas,
levam cantadas, são assaltadas,
entram na mesma vitrine
diversas vezes,
mas, não entregam os pontos,
estão sempre na rua!
Ali passa o bicheiro,
o cavalheiro, o vendedor,
o assalariado, o veado,
o atrapalhado, o doutor, o cobrador,
passa até o que vai saltar
do oitavo andar à meia noite!
Passa o não identificado,
o azarado, o mau-humorado,
o mau-amado, o desquitado;
o que vai viajar para
Nova Iorque de madrugada;
passa o conhecido, o desconhecido;
passa até o que causa perigo.
Por fim, você tira
a sua conclusão do que viu e
volta para casa pensando
“nos que me olham
os que me analisam,
nos que querem mandar na minha vida!
- Se eu demoro a aparecer
na casa de alguém
escuto logo os cochichos:
- o que é que você acha dele?
-Não está lá muito apresentável,
precisa de melhorar;
quando saio ficam  falando
o que não tiveram coragem
de dizer na minha cara;
na minha presença, apenas
falavam de morte,
doença, carestia, casamento,
divertimento, um corte no dedo,
inflação, no final de tudo
perguntavam pela minha mãe!
“São os que me olham
os que me analisam,
os que mandam na minha vida!”
Ainda há pouco,
rodaram um lista para tirar
dinheiro dos outros para mim;
assinou quem gostou e
quem não gostou da idéia...
mesmo assim,
ganhei uma calça azul,
uma camisa amarela e
um copo de cuecas...ainda assim,
tive de devolver a calça...
quem comprou não tinha noção
do que cabia dentro dela...
vejam como elas quere que eu fique
muito mais gordo do que sou!
“São os que me olham
os que me analisam,
os que mandam na minha vida!”
- A vida da gente é como
insolação sem o vermelhão no rosto:
a gente não vive pegando fogo
mas, também não deixa a fervura abrir...
o nosso passado anda da cozinha
para o quintal e do quintal para os arredores,
quase nunca senta com as visitas na sala.
- existe um bocado de interesses
em volta de tudo que se freqüenta:
- ainda ontem vi uma placenta  escorregando
pelas coxas de uma detenta em retirada e a polícia
querendo retorná-la
aos muros da prisão!                                                                                                O meu consolo é que na hora de sentar
no trono do banheiro e pegar nas alças do caixão,
todos reconhecem a sua simplicidade –
chegam até a gemer e a se igualar!
“São assim as pessoas que me olham
que me analisam, que querem mandar
na minha vida”!
Zecar
Enviado por Zecar em 16/05/2005
Reeditado em 03/07/2005
Código do texto: T17189
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zecar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
249 textos (20144 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 06:42)
Zecar