Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desabrochando

quando chegava ao
final da estação
as folhas pendulavam,
pendulavam e
borrifavam no chão,
estatelando pós,
desabrochavam
no piso ardido,
e desabrochavam
e desabrochavam,
até de todo,
tudo como por
encanto,
tudo
frouxar !

aquele homem
também:

quando chegava
no fim do dia,
de tanto trabalhar
e assar carneiros,
rezar améns,
para seus donos
faceiros,
para os patrões,
e até vilões,
borrifar com seu
cansaço
falsos e tontos
herdeiros,
também se deixava
cair na bela cama,
e se estatela de
cansaço,
mesmo com
o céu estrelado,
e nascia o desabrochar
e ele ia desabrochando,
desabrochando,
desabrochando,
nunca amando,
até , de todo,
brochar,
pois nem de mulher
ele conseguia falar !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 09/06/2006
Código do texto: T172103
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26783 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:41)
José Kappel