Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fugidio amor...


Nas tralhas fragmentadas, juntas no canto a minha dor,
Nas arcas saudosas, imensas saudades que deixou.
Á buscar o renovo, retiro dos trapos poeira do Arpoador...

Cacos de um amor! Retratos e as plumas do condor
O poema amarfanhado sovado que tanto recitou,
As cortiças versam rótulos aflitos, a comover o Criador...

Sentado na soleira do ontem a tecer as tramas do que feneceu
Amor com tempo contado, bordando o bestunto que fui eu!
Levo encharcadiços lenços, lavando o amor que não foi meu.

Rezo ao senhor dos encantos avie, clareai o mofo que deu...
Persona ilusa no amor, vagando a esmo a utopia que teceu...
Cruzando alvitre, boiando na solicitude o que creu...

Marulhando ondas que sofreu, a fazer águas a nau do adeus.
No convés do infortúnio, a calafetar o que o cupim comeu,
Um amor cigano! Despatriado voltívolo, alancear que roeu.

O baú da crueldade, a dobra em volição, range que doeu.
Amarras de cabos fiados cerzidos no breu, a rever o que acometeu,
No porto agitado ao revés. O nevoeiro dolo, ruminando o que pereceu.

Apontando o norte o tufão que sopra forte o vagabundo errante
A insensatez aportada propalando talvez um novo amante
Ancora o desencanto no pontilhão, prenuncio de um viver instigante...

“A Poetisa dos Ventos”
Deth Haak
12/6/2006



Feliz dia dos Namorado!





Deth Haak
Enviado por Deth Haak em 12/06/2006
Reeditado em 12/06/2006
Código do texto: T174080
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Deth Haak
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 57 anos
547 textos (65340 leituras)
50 áudios (9714 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:33)
Deth Haak