Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Inquietude

Alguma coisa estranha
anda rondando o país:
Nos braços do estivador,
nos beijos da meretriz;
no cantador de cordel,
nas previsões da vidente,
espalha-se feito peste
e toma conta da gente...

Conspira nos botequins,
bate na porta das casas,
faz procissão nos confins,
desperta o sono das brasas...
Há um perigo constante
de que um dique arrebente
e o velho rio da esperança
cause uma nova enchente...

Anda inspirando o poema,
sofrendo o a fome das vilas;
pegando trem no subúrbio,
perdendo a vida nas filas.
Vive descalço nas praças,
gastando a infância nos morros,
vendendo as moças as docas,
e, às vezes, pede socorro...

É um festim e mendigos,
é um motim de guitarras
onde se insurgem profetas,
onde ressurgem cigarras.
É o cotidiano das ruas
numa comédia febril
e, às vezes, vira tragédia
pelos sertões do Brasil.

Há uma inquietude no povo,
que a notícia não diz,
de ir pra rua de novo
e refazer o país
Vaine Darde
Enviado por Vaine Darde em 12/06/2006
Código do texto: T174253

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vaine Darde
Capão da Canoa - Rio Grande do Sul - Brasil
543 textos (83354 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:12)
Vaine Darde