Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Entradas

Aconteceu hoje no meu tempo
Um momento de lucidez
Que balançou minha cabeça
Vomitando do meu cérebro
O pó que segura os ponteiros
Que movem as engrenagens da minha mente

Sensível à percepção das coisas
Me preparei para ordenar
Eu sou, alguém já me disse
Então para que me enterrar
Foi pensando assim
Que larguei a caneta
Que assinava meu óbito

O sol é meu
A lua é minha
A natureza em si faz parte de mim
E no espelho sou refletido com ela
A vida é minha
A morte é minha
Não minha companheira
Talvez minha amiga
Mesmo que eu não queira

O lixo da natureza está enlatado
O seres humanos estão nestas latas
E eu não sou excessão
Pois não fugi a regra
E nem podia tentar
Sendo que as saidas são entradas
Para novas saidas
Onde não a escape
E sim novas entradas
 
Enviado por PÉ em 15/06/2006
Código do texto: T176225
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Curitiba - Paraná - Brasil, 50 anos
5 textos (176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:56)
PÉ