Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Velório - uma vela à hipocrisia !

Quanto fingimento num só velório
Num só dia tanto falatório
Num só momento tanto invento
Com o mesmo defunto tanto assunto

De repente, ficou bonzinho
"Coitadinho! Tão "direitinho"...
Pura ironia...Até ontem lá na fofoca
Era rueiro, vida torta
Tarado, desnaturado...

Outra, também, diz asneira
Completando a outra besteira
"Meu Deus, morreu tão cedo
Sempre teve tanto apego
Ao filho pequenininho
Veja lá, a tristeza,
no rosto do enjeitadinho"

Coitadinho e triste, que nada
O garotinho lá na calçada
Bate bola pra lá e pra cá
Depois dorme a sono solto
Tranqüilinho no sofá

O colega de copo aparece
Diz que na vida ninguém merece
Perder um amigo assim
Voz pastosa, incoerente
Já nem sabe bem o que diz
"Sujeitinho infeliz
bem que podia ter pago
O que devia pra mim"

Um "PUM" rompe o silêncio
Anunciando o novo dia
No velório, alguém flatulento
Quebrando a monotonia
Cheiro ruim, na aspiração
Dedos, em riste, na acusação

-Foi esse!
-Não foi!

-Foi cachorro!
-Não tem!

-Foi você!
-Nem vem!

O próprio autor da proeza
Pede por gentileza
que encerrem tal assunto

Mas, alguém, ainda cochicha
-"SERÁ QUE FOI O DEFUNTO"??????

Zuca
Enviado por Zuca em 21/06/2006
Reeditado em 10/07/2016
Código do texto: T179759
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Zuca
Umuarama - Paraná - Brasil
55 textos (5891 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:02)