Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O PERFUME

        O perfume não deve ser apreciado ainda no frasco e nem o frasco superar seu hóspede!
        Deve ser aplicado na parte mais sensível de sua pele, em locais inusitados  e antes nunca explorados,     escondido do mundo exterior.
        Seu odor se quitensia quando  aplicado ...corre célere  em toda pele e se torna uno com quem lhe libertou.
Sua fragância, agora parte de seu corpo, será mestra em expargir seu feitiço a todos àqueles que querem usufruir seu magnetismo , trazendo à mente cobiçosa os poentes  do oriente, os luares de Veneza, cortinas de majestosas janelas e luzes safirinas !
        E estes, enlevados, ou antes, escravos de tal fragrância , ficam entregues a este devaneio convencidos de haverem sorvido algo que somente a alma pode distinguir .
       Voam com asas diáfanas , divisam e mirajeam a propria imagem no coração daquela dententora de tal magia.
Ah perfume ! feitiço que anda de braços dados com o  prazer! Ria de sua própria destita pois que tão passageiro és seu efeito que emurchesse e desaparece para viver somente no instante eterno de nossa lembrança.
Maria Helena de Melo Rodrigues
Enviado por Maria Helena de Melo Rodrigues em 22/06/2006
Reeditado em 04/03/2007
Código do texto: T180150
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Helena de Melo Rodrigues
Goiânia - Goiás - Brasil, 54 anos
59 textos (2508 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:47)