Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SUICÍDIO

Meu corpo arrasta minhas derrotas.
Ao longe, num campo distante,
Vejo minhas ilusões acenando
E dizendo-me, sorrindo, adeus!

A alegria não anda ao meu lado.
Houve um tempo, fugidio tempo,
Em que as canções eram suaves
E a dança preenchia meu espírito.
Hoje, porem, o piano silenciou
E minhas pernas não conseguem valsar.

Eu perdi a fé que movia meus passos
E meu coração tornou-se uma caixa vazia.

Quanto amor contraí e, leviano,
Deixei que o mar o levasse consigo?
Quantas belas noites de luar,
Quantos momentos de volúpia carnal,
Quantos dizeres abnegados por covardia,
Quantos sonhos não-construídos,
Quantos... Quantas... Quantos...?

Sou agora o reflexo de meus erros.
Teimo, num último sinal de deleite,
Escrever versos inúteis para nenhuma posteridade.
E se faço, envolto em tristes nostalgias,
É para moquear o que ainda resta de vivo em mim.
Não busco mais a vida; escrevo suicidando-me.
Roniel Oliveira
Enviado por Roniel Oliveira em 25/06/2006
Código do texto: T182196

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Roniel Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 35 anos
56 textos (3144 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 08:41)
Roniel Oliveira