Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Irreverências

Assim foi o causo contado... fomos visitar o Tio Dolindo, e ele sempre irreverente, sentado na cadeira de assento de palhinha, aquelas confortáveis, que hoje já quase não mais são encontradas. Em baixo da cadeira, o cachorro seu companheiro, pobre e indefeso ao assumir culpas e feitos do dono...
Conversávamos bastante. Ele sempre tinha muitos causos prá contar.
Aquele dia, parece que estava meio incomodado. Se mexia a todo tempo na cadeira.
E, de repente, deu um tremendo e ruidoso peido. Não se fazia de rogado, escapou. Falava então bravo com o cão, como atribuindo-lhe a culpa:
- Vamos parar com isso, seu cão danado!Saia já daqui!, ordenava.
E passada e "aceita" a desculpa, o cão  não saía, a conversa continuava.
Passados mais alguns momentos, e novamente, soltou mais um torpedo, e da mesma forma, ralhou com o cão:
- Sai-te daqui, cão fedorento!
E assim foi, até que, na terceira ou quarta vez, a visita não se aguentou, e ajudou a gritar com o cão:
- Saia cão, saia, rápido... antes que o Tio Dolindo cague em cima de você...
Marco Antonio Pereira
Enviado por Marco Antonio Pereira em 03/07/2006
Reeditado em 03/07/2006
Código do texto: T187031
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Antonio Pereira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 63 anos
212 textos (44703 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 10:27)
Marco Antonio Pereira