Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A CANTATA DA BAVIERA

No grande palco de Munique se encontraram,
num estádio repleto de milhares de fãs,
duas fortes equipas que entre si travaram
um prélio decisivo e muito contumaz.

Os Lusos e os Gauleses evoluíram bem
colocando na relva todos os talentos:
os Gauleses num ritmo inferior a cem,
os Lusos mais afoitos mas sem nutrimentos.

Trocaram mimos no seu banco os generais
denunciando os excessos do juiz comum
mas na balança os pratos eram bem iguais
que a todos ele mesmo tratava um a um.

Contudo há dias em que a sorte não nos quer
diz todo o povo, pelos vistos com paixão,
pois cai a nódoa em rico homem ou mulher
se o mal nos acontece com ou sem razão.

Foi desta forma que Carvalho claudicou
fazendo falta na área da proibição
e se nesta campanha alguém s’ agigantou
foi ele, por isso mesmo não o culpemos, não.

Assim o bom Ricardo teve de gramar
que o Zizou assumisse um tal de ruim papel
violando as suas redes para lhe marcar
aquele agreste golo com sabor a fel.

Ó triste sina, ó rude condição ‘scutai
o que neste momento eu tenho p’ ra dizer:
não fora esta pena que ora sobressai
nós, Lusos, os Gauleses íamos vencer.

Todo o mundo observou até ao fim do jogo
qu’ o domínio foi bem maior do nosso lado
e assim o refrigério se mudou em fogo
chorando a tradição e lamentando o fado !


Frassino Machado
In ODISSEIA DA ALMA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 06/07/2006
Código do texto: T188492
Classificação de conteúdo: seguro

Áudio
A CANTATA DA BAVIERA - FRASSINO MACHADO
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FRASSINO MACHADO
Odivelas - Lisboa - Portugal
1598 textos (43911 leituras)
20 áudios (813 audições)
2 e-livros (19 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:29)
FRASSINO MACHADO

Site do Escritor