Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Completa desilusão- bem vindo ao mundo real

E se eu te disesse que não sou mais assim tão “santo”?
Que o modo como me olha e olha teu semelhante é ruim e piegas
Que da tua face eu só vejo coisas inúteis e assim tão podres
Que vejo que você não presta
Que sinto que esse teu mundo é tão cheio de medinhos e modinhas baratas
Que talvez nenhuma das tuas palavras tenha ilusão
E que eu quero mais é ir para longe daqui
Nesse mar que você não tem pra me dar
Nessa vida que eu não pedi pra entrar

Agora mesmo é que eu não sei quem vai me fazer parar de pensar
Seja em coisas boas ou Santas
Seja em malicias e maquinações
Em orações ou ovações a tua alma

E se eu te disse que todo conhecimento humano pode e deve ser desprezado
Se eu te disse que minha vida pode ser tão barata
S eu te avisar que amanha de manha mesmo estou indo embora
Sem nenhuma mala e viajando num grande maleiro por ai

Se eu te disse que estou crescendo você acredita?
Você pode ate confirmar essas minhas suposições
Mas se não perder essa tua arrogância firme e forte não crescerás

Creio que não estou ai pra mais nada
Creio não saber de tanta coisa como você
Mas o que são idéias frente a uma mente perturbada como a minha?

O que é minha missão senão um amontoado de incertezas?
Tenho um frágil braço e não sei por onde começar a navegar
É o que me resta, apenas isso.

Queria ficar a deriva pelo resto de minha vida
Continuar o grande pausamento em que me encontro
Onde tudo parece estar assim tão estagnado
É utopia achar que esse mundo vai mudar
É utopia pensar que eu farei algo de bom
Seja nesse meu micro mundo ou no exterior
Brigando com eles
Lutando por eles
E assim vocês me deixam imerso em segredos
E continuo não sabendo pra onde vou
E mais e mais
Eu me perco
Sem o amor de minha Prometida
Sem o perdão de pessoas tão boas
Com rancor
E amargura
Elas me olham e me tem em suas idéias
Queria ver se são capazes de fazer minhas metades
Se são capazes de me imitar

Peço para partir
Não há mais nada o que se fazer aqui...
Rônaldy Lemos
Enviado por Rônaldy Lemos em 08/07/2006
Reeditado em 08/07/2006
Código do texto: T189707
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rônaldy Lemos
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, 34 anos
1173 textos (70501 leituras)
70 áudios (455 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:18)
Rônaldy Lemos