Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CANTEIROS DA ALMA

           Tento construir o mais precioso  poema
           Para moldar no quadro que escrevo
           Forma nova que à inspiração me cobre
           No paraíso das letras me atrevo.
           
           Vou colhendo uma por uma
           No cesto mácio da alma
           Do meu geito colho elas
           Para que sorvam minha calma.

           No silêncio sou conduzido
           Colhendo à rica semente
           Tempero cada palavra
           Prá alimentar nossa gente.

           E na raíz dessa planta
           Adubo à minha maneira
           Rego todas com cuidado
           Prá que dure a vida inteira.

           As palavras vem pulsadas
           Para todas gerações
           Escrevo tudo que penso
           Para todos os corações.

           E nos canteiros da alma
           Me alimento de versos
           Que inspirados poetas
           Plantem letras no universo.

           
           Edegar Soares
           (Uruguaiana meu Pago - Guaiba minha querência)
           
           10 JULHO 2006
           
Edegar SOARES
Enviado por Edegar SOARES em 10/07/2006
Código do texto: T191449

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edegar SOARES
Balneário Camboriú - Santa Catarina - Brasil, 58 anos
152 textos (22132 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 19:54)
Edegar SOARES