Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palha no pulha

As eleições estão chegando e as velhas práticas de sedução do eleitor desatento estão sendo colocadas em prática. Portanto, não se deixe levar pela encenação bem montada com os artifícios dos efeitos especiais usados nos "shows de realidade" que deslumbram aos pobres de espírito. Fique atento ao processo furtivo das urnas eletrônicas, que não emitem comprovantes que permitam uma auditagem posterior. O TSE diz que você "tem" de acreditar que está tudo certo e que não existe a mínima chance de fraudes. Numa época que piratas cibernéticos penetram até nos arquivos secretos da NASA fica difícil de engolir esta fábula. Ainda temos frescas na memória as vergonhosas fraudes do painel do Senado. Ou você já havia esquecido?


Palha no pulha

Nos bons tempos do palanque
No meio da praça, cercado de gente,
Candidato a cargo público
Tinha de encarar o Povo de frente.

Mas o tempo rápido passou
E fomos engolidos pela televisão
Usando seus efeitos matreiros
Elege o mutreteiro charlatão.

Praticam por horas a fio
Terno beijo no pobre favelado
Terminada a pequena farsa
Com álcool seu rosto é lavado.

E a extinção prometida da seca
Que flagela o Povo do sertão
Com toda certeza voltará
A ser tema de outra eleição.

Ignore estas pobres figuras
Que só visam grandes ganhos
Para não passar toda sua vida
Sendo levado com os rebanhos.

Quando sua voz engasgava
E seu rosto vermelho pingava
Por mais que tentasse esconder
A bem poucos enganava.

Com as altas verbas desviadas
Das prometidas obras sociais
Patrocinam enormes campanhas
Visando do Povo sangrar mais.

Retiram paletó e gravata
Ensaiam belos passos de baião
Chegam até a montar em jegues
Para conseguir votos do povão.

Escondem sua incompetência
Sob o manto da democracia
Aumentam seus patrimônios
Em troca de nossa soberania.

E o Povo que sofre a esmo
Sem pão, saúde e educação
Vai continuar rastejando
Em troca de modesta ração.

Esqueça letra do grande hino
Levante-se já do berço belo
Mostrando que está cansado
De viver em eterno flagelo.

O sistema de voto eletrônico
Representa um meio perigoso
Pois não tendo comprovante
O resultado torna-se duvidoso.

Não perca o rumo do futuro
Não apague a tênue esperança
Lute pela nossa dignidade
Mostre amor pela sua criança.
Haroldo
Enviado por Haroldo em 11/07/2006
Código do texto: T192089
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Haroldo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 71 anos
678 textos (24810 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:46)
Haroldo