Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ÓPIO DAS PROMESSAS

É uma corja violenta de afiados dentes,
Cães danados protegendo a ninhada
Saciando-lhe a fome imoderada
Com impostos que arrecada das gentes.

Vivem na abastança das casas reluzentes
Enquanto na rua a população apinhada
À procura de emprego vive atormentada
Com a pobreza e as enfermidades presentes.

É uma multidão extremamente solitária
Em desespero vendo a miséria crescer
Como consolo cantam sempre a mesma ária
Com a esperança de ver a justiça nascer.

Seus apelos se perdem como gritos de demência
A sua luta tem sempre um resultado inglório
Porque os escolhidos adormecem a consciência
Com o ópio das promessas em bonito falatório.

E assim a cada época o velho salteador
Engendra estratagemas para disputar
Mais um quadriênio e marcar com a dor
O povo deste país que ele não sabe amar.
Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 25/05/2005
Código do texto: T19577

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Hilda de Jesus Alão
Santos - São Paulo - Brasil
848 textos (343096 leituras)
19 áudios (10579 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:42)
Maria Hilda de Jesus Alão