Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DA MODA ANTIGA

                         

Jorge Lima


Dos payadores de antanho
Herdei as tropas de versos
E o patrão deste universo
Que é o senhor do meu destino
Me deu a idéia e o tino
Pra amanunciar poesias
Então sigo a liturgia
Deste antigo catecismo
Mantendo vivo o xucrismo
Na velha capitania.


A tropeada eu continuo
Batendo firme na marca
Contando as rimas na tarca
No nosso sistema antigo
Coisas que trago comigo
Dentro do peito guardado
Pois quem recebe um legado
Vive sempre em prontidão
Sendo soldado e guardião
Deste pago abarbarado.


No garrão deste pais
Nunca se apaga o braseiro
E o meu verso missioneiro
Trançado feito sovéu
Recebe o amparo do céu
Pra continuar galponeiro
Pode voltear o mundo inteiro
Mas não esquece as origens
Suas cores e matizes
Nem seu estilo campeiro.


E assim neste dialeto
Vou segurando a culatra
Onde o verso se desata
Pra um pialo seco e certeiro
E o payador que é o ponteiro
Desta tropilha gaviona
Por ser assim chimarrona
Só fica quieta e se acalma
Quando vê brotar da alma
Um soluço de cordeona.


Eu escolhi este estilo
E sendo assim não me calo
Nas rimas ando a cavalo
Neste meu pago sulino
Esporas entoando um hino
Ao som da inúbia charrua
Riscando de corda e pua
Algum cebruno aporreado
Fazendo marchar troteado
Rondando um quarto de lua.


Assim eu levo no peito
O verso xucro e arredio
Sinto no corpo um arrepio
Quando desfraldo a bandeira
E esta ânsia missioneira
Que trago na minha cantiga
É minha arma de briga
Contra os abusos modernos
Sou tronqueira, de puro cerno
Falquejado a moda antiga.

Jorge Lima
Enviado por Jorge Lima em 25/07/2006
Reeditado em 25/07/2006
Código do texto: T201972
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Lima
São Miguel das Missões - Rio Grande do Sul - Brasil, 60 anos
6 textos (651 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:29)