Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CASTIGO DOS SANTO


I
O povo, na sua fé,
Cridita que São José
Domina as força da Terra:
Num há mal que não remova,
Traiz o Só e faz que chova
E nosso povo num erra!

II
Eu, mesmo fui testemunha,
Lá na cidade do Cunha,
Do podê do protetô;
Nessa cidade polista,
São José da Boa Viswta
É o santo me mais valo!

III
Se demorasse a chuvê,
Todos ía recorrê
Ao seu santo preferido;
Fazia os home as novena
E aquele Santo, cum pena,
Atendia os seus pidido.

IV
Mais, às veis acuntencia
Que o Santo se aburrecia
E os pidido inguinorava.
-Pudia o povo rezá,
Noite e dia, sem pará,
Chuva mesmo, num mandava.


V
Para tais ocasião,
Só havia a solução
De dá ao Santo um castigo:
-Tirava o Santo do Artá
E punha nôtro lugá,
Bem deferente do antigo.

VI
Sem quarqué adijutóro,
Morando nôtro oratóro,
O Santo se chatiava;
E dispois de arrepindido,
O Santo ovía os pidido
E logo, chuva mandava.

VII
Entonce o povo, cum fé,
Vortava com São José
Prú lugá anteriô;
Quando via a sua image,
Toda gente, na passage,
Saudava o seu protetô.

VII
Mais, uma vez se passô
Que São José empacô
E não fazia chuvê.
E se a chuva num caísse,
Como todo o povo disse,
Munta gente ia morrê!


IX
Tiraro o santo do artá
E pusero, em seu lugá,
Uma image de São João;
Ao se vê posto de lado,
São José ficô danado,
Feiz chuvê aos borbotão!


X
A chuva apenas parô
Quando o Santinho Vortô
Pru seu lugá de dereito!
É pruisso que lis digo:
-Quando li dé um castigo
Castige, mas com respeito!
Marcos Coutinho Loures
Enviado por Marcos Coutinho Loures em 29/07/2006
Código do texto: T204964
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcos Coutinho Loures
Muriaé - Minas Gerais - Brasil, 80 anos
29 textos (3213 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:22)