Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DROGA - BASEADA EM FATOS REAIS

QUERO A DISTÂNCIA
QUERO A AUSÊNCIA
QUERO OCULTAR TODA A MINHA ESSÊNCIA
QUERO SER TODA INVISÍVEL
TODA INSENSÍVEL
COMO A ÁGUIA VOU ALÇAR VÔO
E LÁ NO CÉU PERDER ESSE ENJÔO


MEU CORAÇÃO EM VÃO SENTE
PORQUE HÁ INERCIA EM MINHA MENTE
PARA ESSE VAZIO QUERO A DESMATERIALIZAÇÃO
COM ESSA DROGA QUERO PERDER A RAZÃO
QUERO FICAR NAQUELE ESTADO FLUTUANTE
QUERO TER CORAGEM E SER BRILHANTE


LEVE E SOLTA EU CORRO O MUNDO
MINHAS PERNAS CAMINHAM JUNTO
AS LÁGRIMAS SE CRISTALIZARAM
EM MINHA FACE NÃO MAIS ROLARAM
CONHECI MONTANHAS, NÚVENS E ESTRELAS
ENCONTREI-ME COM PÁSSAROS E BORBOLETAS
TODA A MINHA VIDA EM UM SÓ DIA
ÚNICA SENSAÇÃO, PRAZER E ALEGRIA


EM MEUS OUVIDOS A MÚSICA É SUAVE
DA FELICIDADE ENCONTREI A CHAVE
MEU FÍSICO DE MIM SE SEPAROU
E MINHA ALMA EM OUTRA SE ENCARNOU



NOSSA...
QUE DEVANEIO!
QUE LOUCURA!
DESSE APERTO NO PEITO, A DOR É A MINHA CURA
ESSA CADEIA ALUCINANTE ME FAZ VIAJAR
SEI QUE POSSO TUDO , ATÉ MATAR


NESSE DEVANEIO, UMA CARREIRINHA
SE MORRER NÃO MORRO SOZINHA
LEVO ATÉ O ÚLTIMO BASEADO
 MEU DELÍRIO, MEU AMANTE MASCARADO


DESFILO NA PASSARELA DA VIDA
ISENTA DA PASSAGEM DE IDA
NÃO TENHO TODO O TEMPO DO MUNDO
POR ISSO QUERO TUDO BEM PROFUNDO
A VOLTA É BEM MAIS COMPLICADA
A PASSAGEM COBRADA É DELICADA
SE PAGA PRA JUNTAR OS CACOS
DE TODA UMA VIDA FEITA EM PEDAÇOS


A DORMÊNCIA ADORMECE DE VEZ
DANDO VAZÃO A REAL MORBIDEZ
O MEDO E A VERGONHA APARECEM
A MAGIA E O PRAZER PERECEM
A SERINGA AO LADO ATORMENTA
PELO VAZIO QUE AINDA FOMENTA
A MAIS UMA ÚLTIMA PICADA
MESMO A VEIA JÁ ESTANDO DILATADA
SENSAÇÃO DE LIBERDADE E PODER
EM TUDO SER E ACONTECER


A SENSAÇÃO DE TER A LIBERDADE
DE SER A SUA PRÓPRIA FELICIDADE
SUA TRISTE ALEGRIA É TAMANHA
QUE O VAZIO SE TORNA EM FAÇANHA
UM SER SEM VOZ, SEM VEZ, TOTALMENTE MUDO
NUM MUNDINHO PEQUENINO E IMUNDO
UM TEMPLO INVADIDO E PROFANADO
QUE POR JUÍZES CRUÉIS É CONDENADO


NÃO VÊEM QUE BUSCAM UMA SOLUÇÃO
PARA O VAZIO QUE TRAZEM NO CORAÇÃO
A SOLUÇÃO QUE SÓ ENCONTRAM NESSA FUGA
NESSA EMPREITADA MALUCA



ESSA DROGA....
ESSA DROGA QUE DROGA E CORRÓI
ESSA DROGA...
ESSA DROGA QUE MATA E DESTRÓI
ESSA DROGA QUE A TANTOS TENTA
QUE A TANTOS PRENDE E ACORRENTA
TAMBÉM ME PEGOU
TAMBÉM ME CONQUISTOU


AGORA LÚCIDA, POR UM DIA... UMA HORA... NÃO SEI...
DESCOBRI QUE MAIS QUE A MIM MESMA
A DROGA EU AMEI
QUERIA MUDAR A SITUAÇÃO
EU TINHA AINDA AMOR NO CORAÇÃO
QUERIA NUNCA TE COMPRAR
NEM TE CONHECER, TAMPOUCO TE USAR



MAS QUE PENA!
POR VOCÊ DEIXEI-ME DOMINAR


MORRI...
MORRI... PORQUE ESQUECI DE ME AMAR.




milizinha
Enviado por milizinha em 06/08/2006
Reeditado em 21/05/2011
Código do texto: T210343

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
milizinha
Rio do Sul - Santa Catarina - Brasil, 52 anos
637 textos (94412 leituras)
1 áudios (272 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:58)
milizinha