Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cotidiano


E eu tratava de coisas da vida
como aquelas conversas de bar.
E contava à minha querida
como vivia em meu lar.



Eu cuidava do bem querer inocente
cada vez que me punha a sonhar
e deixava que o vento inerente
da paixão viesse soprar.



Mas na vida tudo são como ventanias
de onde vem, nunca se saberá
e arrasta folhas, paixões , agonias
e não se sabe quando voltará.



E depois do vendaval, a solidão
Daquele que tentou se agarrar
Mas pereceu junto à ilusão
Da vida querer decifrar.
Marcelo Scot
Enviado por Marcelo Scot em 08/08/2006
Reeditado em 23/11/2006
Código do texto: T212225

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcelo Scot
São Paulo - São Paulo - Brasil, 52 anos
388 textos (34992 leituras)
9 áudios (1478 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:29)
Marcelo Scot