Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lucidez demorada

Era mais forte quando sem querer parava para pensar
Como habitualmente era necessário estar
Para que não fosse engolida de vez por alguém
Alguma espécie de Deus oculto nas palavras
Que subentendiam que a vingança para ela seria demorada

Por isso volta e meia esquecia-se de esquecer
Mergulhava fundo em devaneios de loucura
Que verdadeiramente eram de pouca lucidez
De quem já não tem mais forças para bradar
A própria loucura de estar vivo

Eram espaços inócuos de lembranças
Velhos resquícios de algo tão normal
Que se parecia cada vez mais não pertencer
Para além das profundezas do mar
Era tonta coitada, tonta de amor

As flores que agora sobreviviam no jardim
Dessa existência tão pouca, tão barata
Eram apenas os restos da luz que o sol deixou
Para que às vezes acordasse de algum sonho
De estar em uma realidade mais utópica que a sua

Pois que vinguem-se para sempre
Derramem toda lama nessa glória desvanecida
Pois a vingança é leve e doce como um espinho
E quer perfurar devagar a pele morta
Só pelo gozo de estar possuindo
Lady Sophia
Enviado por Lady Sophia em 10/08/2006
Reeditado em 13/09/2006
Código do texto: T213480
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lady Sophia
João Monlevade - Minas Gerais - Brasil, 25 anos
147 textos (6551 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:37)
Lady Sophia